Gastronomia

Receitas da Io: “Attorta”

A tradição popular diz que a origem deste doce está ligada aos tempos do culto ritual da adoração ao deus serpente. Como é um doce que se conserva bem durante uns 15 dias, sempre que vou a Itália trago um feito pela minha irmã Clara. Escusado será di
Versão para impressão
A tradição popular diz que a origem deste doce está ligada aos tempos do culto ritual da adoração ao deus serpente. Como é um doce que se conserva bem durante uns 15 dias, sempre que vou a Itália trago um feito pela minha irmã Clara. Escusado será dizer que não consegue passar a fronteira com a França, pois é tão bom que não lhe resisto.

Image and video hosting by TinyPicIngredientes [para 12 pessoas]:

MASSA
– 300g de farinha;
– 4 colheres de sopa de azeite;
– 1,5 dl de água morna com sal

Nota: Esta massa tem de ser feita à mão; portanto, não cair na tentação de fazer de outro modo)

RECHEIO
– 500g de frutos secos picados com a faca – nozes, amêndoas, pinhões, passas; figos e ameixas são facultativos;
– 200 g de açúcar;
– 30g de cacau;
– 1 colher de chá de canela;
– Licor “alchermes”;
– Azeite

Na mesa de trabalho, preparar uma cratera com a farinha. No centro, verter o azeite e a água. Primeiro com o garfo e depois com as mãos, amassar toda a farinha. Se necessário, pôr mais umas gotas de água. A massa deve ficar fofa. Trabalhá-la durante uns 15 ou 20 minutos, até ficar macia como veludo. Deixar descansar debaixo de uma tigela de vidro aquecida e tapada com um pano.

Numa tigela, juntar todos os frutos bem picados, as passas amolecidas, o açúcar, o cacau e a canela. Misturar tudo. Untar um tabuleiro.

Estender uma toalha na mesa e polvilhá-la com farinha. Primeiro com o rolo da massa e depois com as mãos, puxar delicadamente a massa até ficar quase transparente. Deverá ficar com um formato redondo. Recortar as bordas, onde fica uma espécie de cordão. Pincelá-la com azeite. Espalhar sobre ela as frutas picadas e borrifar com o licor alchermes.

Com as mãos, começar a enrolar a massa, dando só duas voltas. Com uma faca, cortar a massa e pincelá-la com azeite de forma a ficar bem fechada. Agarrar esta “salsicha” e colocá-la no centro do tabuleiro. Enrolá-la em espiral. Continuar esta operação até a massa acabar. Deverá ficar como uma grande serpente enrolada. É preciso ter cuidado para a massa não ficar agarrada entre as voltas.

Borrifcar com licor alchermes e pincelar com azeite por cima e entre as voltas. Cozer em forno pré-aquecido a 200º e durante 15 minutos. A massa tem de ficar loura e estaladiça. Retirar do tabuleiro com duas espátulas largas e longas. Eu prefiro não a cortar – sirvo-a num prato e vai-se cortando aos pedaços, com as próprias mãos.

“A cozinha é uma arte que só atinge a perfeição quando protege a saúde” [Io Appolloni]

Consulte o site da Appolloni Doçaria Artesanal em http://www.appolloni.pt

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close