Em Destaque Turismo

Os melhores e os piores destinos para viajar de avião nas férias de Natal

Quais serão os principais destinos dos voos que partem de Portugal neste período? E quais as probabilidades de o voo sofrer perturbações?
Versão para impressão

 

A AirHelp, empresa especializada na defesa dos direitos dos passageiros aéreos e líder mundial na obtenção de compensações por perturbações em voos, analisou o período de Natal de 2017 (entre 22 de dezembro de 2017 e 3 de janeiro de 2018) para perceber quais são os destinos de eleição e quais as probabilidades de surgirem imprevistos, para que quem vai viajar saiba com o que pode contar.

Analisando o top 10 dos destinos internacionais escolhidos por quem parte de Portugal encontramos apenas cidades europeias, talvez devido à maior proximidade e acessibilidade dos preços dos bilhetes ou por serem utilizadas para voos de ligação. Madrid, Paris e Genebra lideram no número de voos, com cerca de 310, 280 e 170 partidas. O estudo da AirHelp também permite apurar quais os destinos com maior probabilidade de sofrerem atrasos, tendo em conta a taxa de pontualidade (este parâmetro compreende o número de voos que chegaram ao destino antes ou dentro do horário previsto ou com um atraso inferior a 15 minutos).

Pela positiva, destacam-se Amesterdão (Schiphol) e Barcelona (El Prat), com taxas de pontualidade de cerca de 75% e 73%, respetivamente. Por outro lado, Bruxelas apresenta a pior performance: cerca de 46% dos voos chegaram ao destino com atraso. Pela negativa, realce também para Londres (Heathrow) e Paris (Orly), com 45% e 43% dos voos a chegarem com atraso.

AEROPORTO DE DESTINO DE 22/12/17 A 03/01/18
NR. APROXIMADO DE VOOS

(COM PARTIDA DE PORTUGAL)

TAXA DE PONTUALIDADE
(À CHEGADA)
Madrid (Barajas) 310 67%
Paris (Orly) 280 57%
Genebra 170 58%
Amesterdão (Schiphol) 150 75%
Londres (Gatwick) 150 71%
Barcelona (El Prat) 140 73%
Frankfurt 120 66%
Zurique 110 70%
Londres (Heathrow) 100 55%
Bruxelas 100 54%

Pontualidade nos principais aeroportos portugueses

Na análise da AirHelp, destacam-se pela positiva os aeroportos de Faro e Madeira, que apresentam uma pontualidade nas partidas de 86% e 83%, respetivamente. Os aeroportos do Porto e de Lisboa, que têm bastante mais partidas, apresentam a pior média: 43% e 40% das partidas chegam ao destino com atraso, respetivamente.

AEROPORTO DE PARTIDA 22 DE DEZEMBRO A 3 DE JANEIRO DE 2017
NR. APROXIMADO DE VOOS TAXA DE PONTUALIDADE
(À PARTIDA)
Lisboa (Humberto Delgado) 3400 60%
Porto (Francisco Sá Carneiro) 1300 57%
Madeira (Cristiano Ronaldo) 420 83%
Faro 400 86%
Ponta Delgada (João Paulo II) 230 73%

O melhor e o pior período para viajar

Segundo os dados recolhidos pela AirHelp no Natal de 2017, os domingos são o melhor dia para viajar, pois 87% dos voos chegaram ao destino dentro do horário previsto. Por outro lado, os sábados são o dia mais propício a perturbações – cerca de 50% dos voos chegam ao destino com atraso.

O pior horário para viajar é ao princípio da tarde – cerca de 39% dos voos que partem entre as 12h00 e as 15h59 aterram fora de horas. Quem pretende mesmo chegar a horas ao destino, o melhor é marcar viagem para o final da tarde/noite. O horário das 16h00/21h59 surge no topo da pontualidade, com uma taxa de sucesso de cerca de 66%.

Problemas no voo: estes são os direitos dos passageiros

No caso de atrasos superiores a três horas, cancelamentos de voos ou impedimento de embarque, os passageiros podem ter direito a uma compensação até 600 € por pessoa, em determinadas circunstâncias, além do agendamento de nova viagem ou do reembolso do bilhete. As condições para que tal aconteça determinam que o aeroporto de partida se encontre dentro da UE ou que a companhia aérea tenha sede na UE. Além disso, a razão da perturbação deve ser causada pela companhia. O direito à compensação financeira deve ser reclamado no prazo de três anos a contar da data da perturbação.

Por outro lado, circunstâncias extraordinárias como tempestades ou emergências médicas isentam as companhias da obrigação de compensar os passageiros.

Se o passageiro ficar retido no aeroporto por mais de duas horas, as companhias aéreas também são obrigadas a fornecer refeições, bebidas, acesso a comunicações e acomodação, se necessário.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close