Gastronomia

Receitas da Io: “Attorta”

A tradição popular diz que a origem deste doce está ligada aos tempos do culto ritual da adoração ao deus serpente. Como é um doce que se conserva bem durante uns 15 dias, sempre que vou a Itália trago um feito pela minha irmã Clara. Escusado será di
Versão para impressão
A tradição popular diz que a origem deste doce está ligada aos tempos do culto ritual da adoração ao deus serpente. Como é um doce que se conserva bem durante uns 15 dias, sempre que vou a Itália trago um feito pela minha irmã Clara. Escusado será dizer que não consegue passar a fronteira com a França, pois é tão bom que não lhe resisto.

Image and video hosting by TinyPicIngredientes [para 12 pessoas]:

MASSA
– 300g de farinha;
– 4 colheres de sopa de azeite;
– 1,5 dl de água morna com sal

Nota: Esta massa tem de ser feita à mão; portanto, não cair na tentação de fazer de outro modo)

RECHEIO
– 500g de frutos secos picados com a faca – nozes, amêndoas, pinhões, passas; figos e ameixas são facultativos;
– 200 g de açúcar;
– 30g de cacau;
– 1 colher de chá de canela;
– Licor “alchermes”;
– Azeite

Na mesa de trabalho, preparar uma cratera com a farinha. No centro, verter o azeite e a água. Primeiro com o garfo e depois com as mãos, amassar toda a farinha. Se necessário, pôr mais umas gotas de água. A massa deve ficar fofa. Trabalhá-la durante uns 15 ou 20 minutos, até ficar macia como veludo. Deixar descansar debaixo de uma tigela de vidro aquecida e tapada com um pano.

Numa tigela, juntar todos os frutos bem picados, as passas amolecidas, o açúcar, o cacau e a canela. Misturar tudo. Untar um tabuleiro.

Estender uma toalha na mesa e polvilhá-la com farinha. Primeiro com o rolo da massa e depois com as mãos, puxar delicadamente a massa até ficar quase transparente. Deverá ficar com um formato redondo. Recortar as bordas, onde fica uma espécie de cordão. Pincelá-la com azeite. Espalhar sobre ela as frutas picadas e borrifar com o licor alchermes.

Com as mãos, começar a enrolar a massa, dando só duas voltas. Com uma faca, cortar a massa e pincelá-la com azeite de forma a ficar bem fechada. Agarrar esta “salsicha” e colocá-la no centro do tabuleiro. Enrolá-la em espiral. Continuar esta operação até a massa acabar. Deverá ficar como uma grande serpente enrolada. É preciso ter cuidado para a massa não ficar agarrada entre as voltas.

Borrifcar com licor alchermes e pincelar com azeite por cima e entre as voltas. Cozer em forno pré-aquecido a 200º e durante 15 minutos. A massa tem de ficar loura e estaladiça. Retirar do tabuleiro com duas espátulas largas e longas. Eu prefiro não a cortar – sirvo-a num prato e vai-se cortando aos pedaços, com as próprias mãos.

“A cozinha é uma arte que só atinge a perfeição quando protege a saúde” [Io Appolloni]

Consulte o site da Appolloni Doçaria Artesanal em http://www.appolloni.pt

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub