Negócios e Empreendorismo

Venezuela vai produzir portáteis com tecnologia lusa

A Venezuela estima produzir, este ano, um total de 1,2 milhões de computadores portáteis com tecnologia portuguesa para serem distribuídos pelas crianças que frequentam o ensino primário público.
Versão para impressão
A Venezuela estima produzir, este ano, um total de 1,2 milhões de computadores portáteis com tecnologia portuguesa para serem distribuídos pelas crianças que frequentam o ensino primário público. O anúncio foi feito pelo ministro venezuelano de Ciência e Tecnologia.
 
Jorge Arreaza revelou esta projeção durante uma visita de inspeção às instalações da fábrica de montagem de computadores “Canaima” (nome local dos portáteis Magalhães), em que esteve também presente o vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

“Isto [a produção destes computadores] vai aproximar-se dos 90% da meta projetada para a educação primária, de modo a que todos os nossos filhos tenham um computador, do segundo grau até ao sexto grau” de ensino, salientou o ministro.
 

Segundo o governante, atualmente, de 2.350.000 crianças da educação primária venezuelana contam, cada uma delas, com um portátil “Canaima”. Este ano, governo espera começar também a equipar os alunos da educação primária. 
 
Já Nicolás Maduro destacou o facto de esta distribuição de portáteis combinar vários benefícios. “Em primeiro lugar a educação dos nossos meninos, que enveredam desde pequenos no manejo das novas tecnologias e também o avanço económico do país, com o desenvolvimento de um pólo industrial e tecnológico na Venezuela, e um apoio importante à estabilidade laboral, com a criação de empregos de qualidade”, enumerou.

Primeiros portáteis lusos chegaram à Venezuela em 2009
 

Os empregados da fábrica que vai produzir os portáteis “Canaima” foram formados através do programa venezuelano Missão Saber e Trabalho no decurso de um acordo assinado entre a Venezuela e Portugal.
 
Os primeiros computadores do projeto foram importados de Portugal mas, depois, foram criadas fábricas de montagem local, prevendo-se que, num futuro próximo, a Venezuela vá passar a fabricar partes para exportação. 
 
Por outro lado o vice-presidente da Venezuela recordou o “empenho do presidente Hugo Chávez” em avançar com o projeto de dotar as crianças com portáteis, “baseando-se em metas muito precisas que se têm cumprido”.
A distribuição de computadores portáteis portugueses nas escolas venezuelanas teve início em 2009, no âmbito de um acordo de cooperação assinado entre Caracas e Lisboa.
 
A propósito desta parceria entre Portugal e a Venezuela foi criado, em Caracas, o Centro Científico e Tecnológico Simón Bolívar, onde, com transferência tecnológica portuguesa, funciona uma linha de montagem destes portáteis. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close