Sociedade

Universidade Técnica emprega 95% dos diplomados

A Universidade Técnica de Lisboa (UTL) realizou, pela segunda vez, um estudo para avaliar a empregabilidade dos seus cursos. O inquérito foi feito aos diplomados dos cursos das sete escolas da universidade.
Versão para impressão

A Universidade Técnica de Lisboa (UTL) realizou pela segunda vez, um estudo de modo a avaliar a empregabilidade dos seus cursos. O inquérito foi feito aos diplomados dos cursos das sete escolas da universidade.

No dia em que António Cruz Serra se consagra o novo reitor da universidade, indica que quase metade dos diplomados, cerca de 45%, obtém o primeiro emprego antes de terminar o curso e que, após seis meses, 84% já estão empregados dentro das suas áreas de formação.

O estudo indica que 95% dos diplomados da UTL conseguiu obter o primeiro emprego durante o primeiro ano após terminar o curso. O estudo revela ainda que as situações laborais mais frequentes são os contratos a termo seguido do contrato efectivo, dentro das empresas empregadoras com mais de 500 trabalhadores ou com menos de 50.

Este inquérito realizou-se entre Dezembro de 2010 e Maio do ano passado, englobando cerca de 35% dos diplomados que aceitaram responder. Os 2208 diplomados pela UTL, terminaram os cursos com uma média final de 14 valores.

De acordo com o estudo, os diplomados recebem um salário compreendido entre os 750 e os 1500 euros e revela ainda que a “situação atual de emprego mostra que a maioria mantém o emprego inicial e os que mudaram foi por razões de procura de emprego mais interessante ou de melhores condições de progressão na carreira”, contou à agência Lusa a reitora interina, Helena Pereira.

A reitora sublinhou ainda o facto de a maioria dos diplomados ter considerado que os cursos que os alunos tinham frequentado eram adequados ao mercado de trabalho e que afirmaram estar “satisfeitos ou muito satisfeitos com a formação académica recebida”.

O primeiro estudo sobre empregabilidade dos diplomados da UTL analisou o período entre 2006 a 2008. Helena Pereira garante que as diferenças entre os dois inquéritos são “pequeníssimas”. 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close