Ambiente

Universidade de Lisboa vai produzir energia solar

A Universidade de Lisboa (UL) vai começar a produzir energia através do sol. A instituição de ensino superior prepara-se para inaugurar, esta terça-feira, as suas primeiras centrais fotovoltaicas e prevê ter mais de 10.000 painéis já em Outubro.
Versão para impressão
A Universidade de Lisboa (UL) vai começar a produzir energia através do sol. A instituição de ensino superior prepara-se para inaugurar, esta terça-feira, as suas primeiras centrais fotovoltaicas e prevê ter mais de 10.000 painéis solares instalados já em Outubro, o suficiente para abastecer 1.600 famílias.
 
Em declarações à Lusa, Márcia Vila, diretora do serviço de sustentabilidade do campus universitário, revelou que os painéis já estão instalados nas coberturas dos edifícios abrangidos pela primeira parte do projeto e em fase de ligação.
 
Na terça-feira será feita uma apresentação pública do projeto de minigeração de energia e da eficiência energética dos edifícios da UL, sendo que esta iniciativa está a ser desenvolvida em parceria com a Galp, sem custos para a universidade e com partilha das receitas obtidas com a venda de energia elétrica à rede.
 
A universidade conta com mais de 30 edifícios e o objetivo do projeto é abranger o máximo possível, para que todas as unidades orgânicas (faculdades e refeitórios) tenham uma central fotovoltaica instalada, referiu Márcia Vila.

Projeto vai evitar emissão de 12.106 toneladas de CO2 por ano
 

Atualmente, está a ser efetuada a ligação de quatro unidades de produção de eletricidade. Os painéis fotovoltaicos (os primeiros 2.627) estão a ser colocados nas coberturas dos edifícios, nos parques de estacionamento e nas áreas de lazer.
 
Os equipamentos, instalados nos edifícios da Faculdade de Ciências, na Faculdade de Psicologia e Instituto de Educação e no Refeitório 1 vão produzir cerca de 1.028 Gwh de energia renovável por ano, “evitando assim a emissão anual de 12.106 toneladas de dióxido de carbono (CO2)”, pode ler-se num documento divulgado pela UL e citado pela Lusa.
 
O projeto beneficia da “excelente orientação de alguns edifícios” a Sul e de outros já construídos para este fim, nomeadamente na Faculdade de Ciências. “Foram fatores decisivos para a existência de painéis solares fotovoltaicos, facilitando o melhor aproveitamento das coberturas”, explica ainda a UL, que reclama o desenvolvimento de um projeto pioneiro a nível universitário em Portugal.
 
Segundo a instituição universitária, trata-se de um dos maiores projetos de energia elétrica a partir de fontes renováveis na cidade e nas instituições de ensino superior em Portugal. Além disso, o facto de ser instalado na própria universidade permite que o projeto seja estudado no local por recursos existentes na Academia.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close