Saúde

Tuberculose: Novo tratamento tem 99% de eficácia

Um novo "cocktail" de medicamentos combinados resultou num enorme passo em direção à cura da tuberculose. Nos testes em humanos, conseguiu matar 99% da bactéria que causa a doença.
Versão para impressão
Um novo “cocktail” de medicamentos combinados resultou num enorme passo em direção à cura da tuberculose. A mistura, desenvolvida por investigadores da organização não-governamental (ONG) TB Alliance e já testada em humanos, conseguiu matar 99% do bacilo-de-koch, bactéria que causa a doença, de acordo com um estudo publicado esta semana na revista The Lancet. 
 
Segundo a equipa de cientistas daquela ONG, a descoberta traz consigo a esperança de um tratamento definitivo, num momento em que as formas da tuberculose mais resistentes aos medicamentos estão a tornar-se impossíveis de tratar.
 
Além disso, acarreta ainda progressos no sentido do desenvolvimento de um tratamento antiretroviral compatível com os fármacos para a tuberculose, com os quais normalmente são incompatíveis devido aos efeitos secundários, destinados aos muitos doentes que também sofrem de HIV/SIDA.
 
De acordo com comunicado da TB Alliance, o ensaio clínico testou uma mistura entre um fármaco totalmente novo, um fármaco já aprovado para tratar outras doenças infecciosas e um medicamento que já é, atualmente, usado para o tratamento da tuberculose.

Tratamento cumprido em apenas quatro meses
 

Os resultados obtidos sugeriram que esta combinação inovadora é capaz de tratar as formas mais e menos resistentes de tuberculose em apenas quatro meses sendo que, hoje em dia, mesmo a menos resistente requer seis meses de medicação e as pessoas que se debatem com a forma mais agressiva da doença precisam de 18 a 24 meses de tratamento.
 
“As nossas conclusões confirmam a promessa de que os novos tratamentos contra a tuberculose poderão ser mais curtos, simples, seguros e, em comparação com os atuais, muito mais baratos”, salientou Mel Spigelman, presidente da TB Alliance, adiantando que o grupo está já a trabalhar nos próximos testes.
 
O novo fármaco teria também a capacidade de reduzir o número de medicamentos que um doente com tuberculose resistente tem de tomar de 12.600 para apenas 360, eliminando igualmente a necessidade de injeções.
 
“Temos em mãos uma grande oportunidade de trazer ao mercado um tratamento que, em última instância, poderá ajudar a salvar milhões de vidas”, acrescentou Spigelman.
 
A tuberculose é uma das mais antigas e mortais doenças infeciosas conhecidas e foi detetada pela primeira vez há milhares de anos, tendo sido também encontrada nos restos mortais das múmias egípcias.
 
Com a “explosão” do HIV/SIDA nas décadas de 80 e 90, em especial na África subsariana, a epidemia deu um salto histórico e as mortes causadas pela doença aumentaram drasticamente. Anualmente, estima-se que 1,4 milhões de pessoas percam a vida devido à tuberculose e que 9 milhões a desenvolvam anualmente.
 
Clique AQUI para aceder ao estudo e AQUI para conhecer o site da TB Alliance, que se dedica inteiramente à procura de tratamentos mais rápidos e económicos para combater a tuberculose. 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close