Fitness & Bem-estar

Transportes do Porto elogiados pelo jornal El Mundo

A cidade do Porto, em particular a sua rede de transportes, está, esta semana, em destaque no Ocho Leguas, portal de viagens do jornal espanhol El Mundo. Um artigo publicado na quarta-feira deixa um elogio à mobilidade na Invicta.
Versão para impressão
A cidade do Porto, em particular a sua rede de transportes, está, esta semana, em destaque no Ocho Leguas, portal de viagens do jornal espanhol El Mundo. Um artigo publicado na quarta-feira deixa um elogio à mobilidade na Invicta, que vai desde o metro e as suas estações modernas ao histórico Funicular dos Guindais.
 
Javier Mazorra, historiador de arte e “contador de viagens” que assina a peça, começa por salientar o facto de o Porto poder gabar-se de ser a única cidade no mundo que contou, no desenho da sua rede de metropolitano, com o trabalho de dois arquitetos galardoados com o Prémio Pritzker – Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto Moura.
 
No entender do autor, “os transportes públicos do Porto são uma atração por si mesmos”. O principal destaque vai, precisamente, para o metro, que conta atualmente “com seis linhas que chegam até à Póvoa do Varzim e ao aeroporto Francisco Sá Carneiro, desenhado por João Carlos Leal, que se ocupou também da própria estação para mostrar o compromisso da cidade com a melhor arquitetura”.
 
Mazorra salienta a grande extensão da linha do metro do Porto, que dispõe de um total de 80 estações, parte delas de superfície e parte subterrâneas, distribuídas por 70 quilómetros.

Para o historiador espanhol, “as duas grandes estrelas deste meio de transporte são, sem dúvida, Siza Vieira, responsável pela conceção da estação de São Bento e Souto Moura (…) cujo trabalho de mais destaque é a estação da Casa da Música, que serve de passadeira vermelha no caminho para o edifício de Rem Koolhaas”. 

Teleférico de Gaia também merece destaque

 
Outra das vantagens do sistema de transportes portuense é, acrescenta, o Andante, “bilhete recarregável flexível que permite a movimentação por todo o espaço da área metropolitana do Porto a baixo custo” e que inclui o metro, mas também autocarros e funicular, embora exclua os barcos que circulam no rio, o teleférico (de Gaia) e os elétricos que funcionam como transporte turístico.
 
O Funicular dos Guindais, que liga a parte alta da cidade às margens do Rio Douro em apenas três minutos, também é elogiado por Javier Mazorra, que o descreve como “uma proeza técnica cujas origens remontam aos finais do século XIX e que renasceu totalmente modernizado em 2004, para facilitar de uma forma elegante e rápida” esta comunicação entre os dois locais.
 
E, apesar de se tratar de um equipamento de transporte situado na margem oposta do rio, Mazorra não esquece ainda o Teleférico de Gaia que, “devido às rivalidades entre cidades, só circula entre o cais de Vila Nova de Gaia, o Jardim do Morro e a entrada da Ponte Luiz I' mas, garante, “oferece uma visão do Porto antigo verdadeiramente espetacular”. 
 
Clique AQUI para aceder ao artigo publicado no Ocho Leguas (em espanhol).

[Notícia sugerida por Anabela Figueiredo]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close