Ciência

Telescópio capta a maior estrela amarela do Universo

O telescópio VLT, do Observatório Europeu do Sul (OES), conseguiu capturar imagens daquela que é uma das dez maiores do Universo e a maior de todas as amarelas. O seu tamanho é 1.300 vezes superior ao diâmetro do Sol, pertencendo a um sistema estelar
Versão para impressão
O telescópio VLT do Observatório Europeu do Sul (OES) conseguiu capturar imagens daquela que é uma das dez maiores do Universo e a maior de todas as amarelas. O seu tamanho é 1.300 vezes superior ao diâmetro do Sol, pertencendo a um sistema estelar duplo, onde faz par com outra estrela.
 
Pelo nome HR 5171, a hipergigante amarela pode ser vista a olho nu na constelação de Centauro, apesar dos seus quase 12.000 anos-luz de distância da Terra. O feito é, no entanto, apenas conseguido por “pessoas com excelente visão”, mesmo com o brilho desta estrela a ser um milhão de vezes mais intenso que o do Sol. 
 
Oliver Chesneau, do Observatório da Côte de Azur, foi o responsável que coordenou a equipa e que recorreu à técnica de interferometria para conseguir as imagens. Dotado com um interferómero – aparelho utilizado para realizar medidas de ângulos e distâncias -, o Very Large Telescope (VLT) aproveita a interferência de ondas magnéticas e combina a radiação captada pelos quatro telescópios individuais que o formam, criando “um telescópio virtual gigante de 140 metros de diâmetro”.


Em comunicado, o Observatório Europeu do Sul explica que as hipergigantes amarelas são muito raras, possuindo uma vida muito curta. Por esses mesmos motivos, são apenas conhecidos cerca de uma dúzia de exemplos na Via Láctea.


Com os novos resultados, a equipa pretende comparar as observações atuais com as anteriores feitas a esta estrela e estudar o comportamento da HR 5171 ao longo do últimos 60 anos”. Segundo os especialistas, “este raro e extraordinário objeto muda muito depressa”, o que leva a crer que a HR 5171 está a ser observada numa “fase muito breve da sua vida”. 
 
Nos últimos 40 anos, a mesma tornou-se “maior”, tendo vindo a “arrefecer à medida que cresce”. A hipergigante amarela tem na sua órbita uma estrela mais pequena e ligeiramente mais quente, que demora 1.300 dias a dar uma volta completa. À superfície, a HR 5171 A tem uma temperatura de 5.000ºC.

Saiba mais AQUI.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close