Saúde

Sutiã inovador deteta cancro da mama com sucesso

Um sutiã inteligente que avalia a temperatura do peito poderá tornar-se no novo método de deteção do cancro da mama. A descoberta é de uma equipa da empresa norte-americana First Warning Systems que refere uma taxa de precisão acima dos 90 por cento.
Versão para impressão
Um sutiã inteligente que avalia a temperatura do peito poderá tornar-se no novo método de deteção do cancro da mama. A descoberta é de uma equipa da empresa norte-americana First Warning Systems que refere uma taxa de precisão acima dos 90 por cento.
 
Este sutiã está revestido com sensores que detetam as alterações de temperatura no tecido mamário e revelam a presença de células malignas, pois os tumores necessitam de nutrientes para crescerem e esse processo de “alimentação” provoca uma reação no metabolismo, produzindo calor.
 
Já foram foram realizados estudos preliminares e ensaios clínicos que demonstram a eficácia deste sutiã em relação à tradicional mamografia, que apresenta cerca de 70% de precisão. Outra grande vantagem é o baixo custo deste equipamento relativamente a outras técnicas.

Para o estudo foram analisadas 650 mulheres que usaram o sutiã inteligente. Através dos dados recolhidos foi possível obter uma taxa de precisão acima dos 92%. Nos casos em que o sutiã detetou a presença do cancro houve uma taxa de sucesso no diagnóstico de 94,7%, enquanto nos casos que não foi registado qualquer anomalia os níveis atingiram os 91%.
 

A forma de utilização deste instrumento é simples: basta colocar o sutiã e usá-lo por 12h, no final desse período, todas as alterações de temperaturas são registadas dando o prognóstico consoante as mudanças verificadas.

O aparelho oferece vários diagnósticos desde normal, deteção de cancro, suspeitas de um cancro da mama, ou outras suspeitas do tecido mamário, sendo que, deste modo, o sutiã não só é capaz de despistar o cancro da mama como outros problemas.
 

Assim, apesar dos cientistas afirmarem que este novo método precisa de mais estudos para corroborar os ensaios clínicos, este aparelho pode vir a constituir-se como uma arma poderosa contra esta doença que todos os anos afeta mais de um milhão de mulheres em todo o mundo. 

[Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close