Sociedade

Surfistas vão receber formação para salvar banhistas

Com vista a reduzir os acidentes e afogamentos nas praias, o Instituto de Socorros a Náufragos (ISN) vai arrancar, no domingo, com ações de formação para surfistas sobre salvamento e suporte básico de vida a banhistas ao longo da costa.
Versão para impressão
Com vista a reduzir os acidentes e afogamentos nas praias, o Instituto de Socorros a Náufragos (ISN) vai arrancar, no domingo, com ações de formação para surfistas sobre salvamento e suporte básico de vida a banhistas ao longo da costa.
 
Em declarações à Lusa, o comandante do ISN, Nuno Galhardo Leitão, revelou que o projeto “Surf Salva”, anunciado esta quinta-feira e realizado em parceria com a Federação Portuguesa de Surf, “vista dotar os surfistas e praticantes de bodyboard, que fazem a modalidade em praias não vigiadas, de conhecimentos de salvamento, de suporte básico de vida, sobre como rebocar a vítima para terra ou o que fazer quando chegam a terra com a vítima consciente ou inconsciente”.
 
Em 2013 registaram-se 80 salvamentos de banhistas por surfistas nas praias nacionais e um total de 12 mortes, das quais 10 aconteceram em praias não vigiadas. “Este projeto poderá aumentar o salvamento e a garantia de segurança nas praias não vigiadas, onde não há uma vigilância eficaz, e reduzir o número de mortes e acidentes nas praias”, antecipou o responsável.
 
De acordo com Nuno Galhardo Leitão, o projeto surge num momento em que se avizinha uma época balnear complicada em termos de vigilância e salvamento marítimo.
 
“Tivemos um Inverno com grandes temporais, que provocaram grandes alterações no fundo do mar, pelo que poderão surgir agueiros e correntes onde antes não existiam e comportamentos anormais àquilo que os nadadores-salvadores estavam habituados”, explicou.

Projeto vai preencher “lacuna” na comunidade do surf
 

A propósito do anúncio da iniciativa, João Aranha, presidente da Federação Portuguesa de Surf, disse à Lusa que este é “um projeto meritório que vai dotar as praias de mais mãos a salvar, o que é fundamental”.
 
“Não se trata apenas de ter conhecimento e meios para tirar alguém da água, mas de conseguir avaliar o estado da vítima”, sublinhou o dirigente, que acredita que esta é ainda  uma “lacuna” para a comunidade do surf, que conta com cerca de 150 mil praticantes, que frequentam as praias de Verão e de Inverno.

O ISN tem planeada a realização de 50 ações de formação com 60 participantes cada junto das três centenas de escolas de surf existentes, tendo como público-alvo os instrutores desta modalidade.

A primeira destas ações acontece já este fim-de-semana, na Costa da Caparica, mais precisamente na Praia do Paraíso, com uma sessão teórica no sábado e respetiva a sessão prática no domingo, ambas apoiadas pelo Instituto Hidrográfico e ministradas por David Szpilman, referência mundial em salvamento aquático e diretor da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close