Diversas

Sendo Sportinguista, fico feliz com e pelo Benfica

[A crónica de Tânia Ribas de Oliveira está de regresso na próxima segunda-feira, dia 31 de maio]

Boas!

Antes de escrever o que quer que seja, quero deixar claro um ponto: sou sportinguista. Fiz 25 a
Versão para impressão
[A crónica de Tânia Ribas de Oliveira está de regresso na próxima segunda-feira, dia 31 de maio]

Boas!

Antes de escrever o que quer que seja, quero deixar claro um ponto: sou sportinguista. Fiz 25 anos de ginástica no Sporting com muitos saraus, duas Sportinguíadas, quatro Gymnaestradas. Apoio o meu clube em todas as modalidades, vou ao estádio de vez em quando e sei de cor alguns cânticos das claques. Estamos, portanto, entendidos quanto à minha cor clubística.

Sendo sportinguista, e sabendo que o meu clube esteve sempre longe de ganhar este campeonato, sou honesta: fico feliz com e pelo Benfica. Num país sem grandes motivos para sorrir, a verdade é que hoje há quase 6 milhões de portugueses felizes. Só por isso, já vale a pena aplaudir um clube que não é o meu.
Image and video hosting by TinyPic
O futebol, enquanto fenónemo de massas, é isto mesmo (ou deveria ser): um enorme aplauso perante um espectáculo que reúne a atenção de milhões de pessoas. Quando se fala de “fair play”, não se discute se é ou não correcto chamar nomes ao árbitro, aos jogadores, às bandeiras ou aos treinadores – enquanto seres evoluídos, partimos todos do princípio que tudo isso é errado. “Fair play” deve ser entendido como uma atitude.. e se os jogadores, por estarem dentro de um jogo com regras e cabeça quente não se respeitam, os adeptos não têm desculpa.  O futebol é apenas isto: vinte pessoas atrás de uma bola (porque as duas que faltam estão agarradas à baliza), e a beleza está nessa simplicidade. E nas paixóes que daí advêm.

Portugal tem mais de dez milhões de habitantes e o Benfica tem quase seis milhões de adeptos. Não sendo o clube do meu coração, é a paixão maior de muitos corações iguais ao meu. Corações que, ao contrário do meu, têm mais preocupações e tristezas do que satisfações e alegrias. Corações que não batem satisfeitos: batem descompassados, preocupados, desiludidos, angustiados. Corações com coraçõezinhos pegados, sem muita esperança e pouco trabalho. Este é o país em que se transformou Portugal. O país que queremos transformar, que queremos reerguer. O país cuja metade da população apoia o Benfica e que hoje está Feliz.

Parabéns ao futebol por ter esta varinha mágica – o condão único de fazer esquecer o mundo em virtude do orgulho por um clube que se ama. De coração. E, no fim de contas, o importante é ter o coração cheio de motivos para sorrir e continuar a amar. E o resto… o resto é o mundo real, que espera por nós na mesma no dia seguinte. Com ou sem Benfica. Neste caso, com.

Um sorriso rasgado para todos e boa semana!

Tânia

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close