Sociedade

Seca: 29 milhões de euros para soluções de regadio

O Governo vai aplicar 29 milhões de euros para projetos de regadio, em várias zonas do país, com o objetivo de minimizar a exposição dos agricultores à seca.
Versão para impressão

O Governo vai aplicar 29 milhões de euros para projetos de regadio, em várias zonas do país, com o objetivo de minimizar a exposição dos agricultores à seca. O anúncio foi feito esta terça-feira pela ministra da Agricultura, Assunção Cristas.

Numa visita ao Salão Internacional do Sector Alimentar e Bebidas (SISAB), a ministra Assunção Cristas, adiantou que o relatório da equipa que está a acompanhar a situação vai estar pronto esta semana e que o Governo está “a sinalizar”, junto da União Europeia, medidas de flexibilização administrativa.

“São situações que estamos a avaliar também em conjunto com as associações [de agricultores] para perceber onde temos margem quer do ponto de vista comunitário, quer internamente, para podermos ajudar, nesta fase e se as situações se vierem a agudizar”, afirmou.

“Estamos a fazer um trabalho de acompanhamento, quer do lado dos prejuízos atuais e expectáveis, caso a situação continue, quer do lado das medidas que podemos accionar”, declarou aos jornalistas.

Aposta no regadio para prevenir seca

Assunção Cristas sublinhou que “um dos grandes desafios da agricultura é o regadio”, que o Governo quer desenvolver, e anunciou que “vão ser libertados 29 milhões de euros para projectos na área do regadio, em várias zonas do País, para que não fiquemos tão expostos à situação de seca”.

Os prejuízos ainda não estão calculados, mas a ministra admite que há “situações delicadas”, sobretudo na área dos pastos e produção animal, mas que podem também estar em causa algumas culturas de inverno se continuar sem chover.

Assunção Cristas adiantou ainda que está a trabalhar em conjunto com o seu colega da Administração Interna, para avaliar a situação relativamente aos incêndios e “ver o que é importante accionar” nesta altura.

“Há características específicas para várias fases relacionadas com o risco de seca e, neste momento, podemos estar já com estas características”, considerou.

Agricultores apontam o dedo ao governo

No final do mês de Fevereiro, a seca atingia 75 por cento do território nacional, apesar das albufeiras manterem níveis semelhantes aos anos anteriores, com água armazenada a cerca de dois terços da sua capacidade.

Desde o início do ano que os agricultores portugueses reivindicam medidas que ajudem a minimizar os efeitos da seca, acusando o Governo de se desresponsabilizar do problema.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close