Desporto

Ruben Faria termina Dakar em 2ª lugar histórico

O "motard" Ruben Faria tornou-se o melhor português de sempre depois de ter terminado o Dakar, principal prova mundial de todo-o-terreno, em segundo lugar.
Versão para impressão
O “motard” Ruben Faria tornou-se o melhor português de sempre depois de ter terminado o Dakar, principal prova mundial de todo-o-terreno, em segundo lugar. Para o jovem motociclista, o resultado obtido na competição é “mais do que um sonho”.
 
“Comecei o Dakar, tal como desde 2010, a tentar ajudar ao máximo o Cyril Despres [colega de equipa] a vencer, neste caso a sua quinta vitória, e esse era o meu principal objetivo”, contou Ruben Faria em declarações à Lusa.
 
“Esse objetivo foi cumprido na totalidade, penso que fiz um bom trabalho, a equipa está satisfeita comigo. À parte disso, fiz o segundo lugar na prova, o que para mim é mais do que um sonho”, confessou o segundo classificado do Dakar, que, assim, melhorou o terceiro lugar conquistado pelo também português Hélder Rodrigues nos dois últimos anos.
 
Ruben Faria terminou a prova a 10.43 minutos do francês, o seu chefe de fila na KTM, que se sagrou pentacampeão após o final da 14ª e última etapa do rali. “Ele [Cyril Despres] acabou, ganhou a quinta vez e depois ficou na meta, ansioso, à minha espera”, recordou o “motard”.

Ruben Faria deu os parabéns aos colegas portugueses
 

“Ele já me ensinou muito e sente prazer nisso, em ensinar-me, e em que eu consiga por em prática os seus ensinamentos. Cumpri o meu objetivo com ele e cumpri o meu objetivo pessoal”, realçou Ruben Faria. 
 
Para já, os objetivos do “motard” são “desfrutar desta terceira vitória do Cyril” e “desfrutar do segundo lugar, que culminou com 15 dias de trabalho” no Dakar “e seis meses de trabalho em Portugal. “Vou saborear este resultado com a família, certamente irei de férias e então vou pensar no que será melhor para mim”, antecipou.
 
Ruben Faria aproveitou ainda para destacar o desempenho dos colegas portugueses na competição, defendendo que “todos os portugueses estão de parabéns”.
 
“O Hélder, o Paulo Gonçalves e eu ficámos dentro dos dez primeiros nas motas, o Carlos Sousa nos dez primeiros nos carros, o Mário Patrão e o Bianchi Prata acabaram, o Paulo Fiúza venceu uma etapa como navegador, o Miguel Ramalho esteve ao mais alto nível e o piloto do Filipe Palmeiro teve um acidente, mas esteve aqui até ao final e é um amigo”, concluiu.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close