Mundo

Revista Vogue proíbe extrema magreza de modelos

A editora da revista anunciou esta semana que a Vogue se comprometeu a não trabalhar com jovens menores de 16 anos ou que aparentem sofrer de distúrbios alimentares, com o objetivo de promover exemplos saudáveis.
Versão para impressão
A revista Vogue, um ícone da moda a nível mundial, anunciou esta semana que vai proibir a extrema magreza das modelos nas suas páginas e comprometeu-se a não trabalhar com jovens menores de 16 anos ou que aparentem sofrer de distúrbios alimentares.
 
Em comunicado, Jonathan Newhouse, um dos responsáveis da Condé Nast International, editora da publicação, explicou que “os editores da Vogue de todo o mundo querem que as revistas reflitam um compromisso para com a saúde das modelos e com o bem-estar dos seus leitores”.
 
Com este objetivo, as edições americana, francesa, chinesa e britânica da revista de moda vão adotar as novas regras a partir de Junho, medida que será seguida pela Vogue japonesa no mês seguinte. 
 
“A Vogue acredita que a saúde é bonita”, salientou Newhouse, que garantiu que os diretores dos castings irão verificar cuidadosamente a identidade das modelos antes das sessões fotográficas e dos desfiles, para garantir que tudo cumpre as orientações estabelecidas.
 
Citada pela Associated Press, a editora reconheceu que as modelos servem de exemplo a “muitas mulheres” e, portanto, é indispensável assegurar que “são bem tratadas e educadas de modo a encorajá-las a tomar conta de si próprias, combatendo as pressões que podem sofrer nesta indústria”.
 
A Vogue adiantou ainda que as revistas vão ajudar a promover programas para jovens modelos com vista à consciencialização sobre a saúde e apoiar condições de trabalho saudáveis nos bastidores.
 
Além disso, a editora promete incentivar os estilistas “a considerar as consequências dos tamanhos demasiado pequenos e irrealistas das suas roupas, que limitam o número de mulheres que podem ser fotografadas com elas e, consequentemente, encorajam o recurso a modelos extremamente magras”. 
 
O debate sobre a saúde e, em particular, o peso das modelos, tem estado em destaque ao longo dos últimos anos, especialmente depois do falecimento de duas jovens após complicações resultantes de distúrbios alimentares em 2006 e 2007, mas o enfoque tem estado sempre nos desfiles.
 
De salientar que as principais organizações de moda de Espanha e Itália baniram dos espetáculos de moda as modelos cujo Índice de Massa Corporal estivesse abaixo de um certo nível e que, há cerca de dois meses, Israel aprovou uma lei idêntica.
 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close