Ciência

Rasto do cometa Halley ilumina o céu este sábado

NULL
Versão para impressão

Este fim de semana a Terra vai ser novamente o observatório perfeito para a chuva de meteoritos que atravessará a atmosfera. A chuva anual de Orionidas vai poder ser vista durante a madrugada de sábado, 22 de Outubro. Pelo céu vão passar cerca de 15 meteoros por hora.

“Apesar de esta não ser a maior chuva de meteoros do ano, vale definitivamente a pena acordar para o ver”, diz Bill Cooke da NASA. O fenómeno resulta da passagem da Terra pelos detritos do Cometa Halley, o que acontece todos os anos em Outubro, atingindo o seu pico no dia 22.

O cometa Halley fez a sua última passagem pela Terra em 1986 e deixa na sua passagem pequenos fragmentos que, ao quando se aproximam da nossa atmosfera se incendeiam criando o espetáculo noturno.

Este ano a Lua e Marte vão fazer parte do espetáculo. Os dois corpos celestes vão formar, juntamente com Regulus, a estrela mais brilhante da constelação de Leão, um triângulo que será o local mais ativo da chuva de estrelas.

As Orionidas vão ser emolduradas por algumas das constelações mais brilhantes e bonitas do céu noturno. Os meteoros vão aparecer da constelação de Orion, passando depois por Touro, Gémeos, Leão e Ursa Maior. 

Além de observar a passagem dos meteoros, a equipa de Cooke vai estar atenta ao impacto das Orionidas na Lua. Isto porque, ao contrário da Terra que tem uma atmosfera capaz de intersetar os meteoritos, o satélite não possui a mesma defesa. Em resultado os detritos atingem a superfície do astro e explodem, fenómeno que, em certas circunstâncias, pode ser avistado por telescópios na Terra.

“Desde que começamos o programa de monitorização em 2005, já registámos mais de 250 meteoros lunares”, diz Cooke no comunicado da NASA. “Algumas explosões ultrapassam o equivalente a centenas de quilos de dinamite”. Desde 2005 a equipa já conseguiu ver 15 Orionidas atingirem a Lua, duas em 2007, quatro em 2008 e nove em 2009.

Esta observação é importante para os especialistas aprenderam mais sobre a energia que estas partículas transportam, assim como para calcular os fatores de risco para os astronautas que, no futuro, andem sobre a Lua.

Esta vai ser uma boa oportunidade para apreciar o espetáculo – desde que o céu esteja sem nuvens – até porque, ao contrário da última chuva de estrelas que ocorreu no início deste mês, a lua está minguante e o seu brilho não vai ofuscar o céu.

Clique AQUI para aceder ao comunicado da NASA sobre a chuva de meteoros.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close