Ambiente

Quercus premeia Parque Biológico de Gaia

NULL
Versão para impressão
O Parque Biológico de Gaia foi distinguido com o Prémio Quercus'11, destacando-se assim como “a melhor empresa de gestão ambiental do país”. A Quercus distinguiu ainda Viriato Soromenho-Marques pelo trabalho desenvolvido em prol do ambiente. Os prémios vão ser atribuídos esta segunda-feira pela instituição num jantar de comemoração do seu 26º aniversário.

O galardão atribuído ao Parque Biológico de Gaia surge em sequência do trabalho de sensibilização que o parque tem feito ao longo dos últimos 30 anos.

Em particular, a Quercus destacou a Educação Ambiental, uma preocupação do espaço que já recebeu cerca de 2,5 milhões de visitantes e que se confirma também com a divulgação da revista “Parques e Vida Selvagem”, o único órgão de informação de temática conservacionista de circulação nacional, distribuído gratuitamente com o Jornal de Notícias.

Segundo revela em comunicado, a Quercus teve igualmente em conta o “trabalho meritório na salvaguarda de dezenas de hectares de terrenos com importância para a conservação da natureza, nas preocupações ambientais na gestão do Município de Gaia, no apoio à criação da Reserva Natural Local do Estuário do Douro e do Parque de Dunas da Aguda, no assegurar do seu Centro de Recuperação de Animais (o mais antigo do país) e no apoio a várias iniciativas ligadas ao Ambiente, um pouco por todo o país”.

Para o autarca da cidade, Luís Filipe Menezes, este prémio é fruto do trabalho desenvolvido na área ambiental. “Ao fim de uma década (de mandato) colocar uma cidade que era a capital do desordenamento a receber um prémio Quercus é para nós muito honroso”, cita a Lusa.

O Parque Biológico de Gaia faz parte de um projeto que pretende mostrar como se pode conjugar desenvolvimento económico com boas práticas ambientais, cuja meta era que a cidade disponibilizasse sete metros quadrados de zonas verdes por habitante

“Com este projeto construímos novos parques – como o das Corgas, de Sandim, da Lavandeira – e até a primeira reserva natural em meio urbano (Cabedelo). Estamos ainda a trabalhar para a criação do parque junto à ponte Maria I e aguardamos verbas para levar o parque biológico, em Avintes, até aos seus limites”, recordou o autarca, lembrando que o parque de Gaia continua a ser “o centro nevrálgico deste projeto”.

Para comemorar os 26 anos de história da instituição, a Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza – vai promover um jantar hoje à noite, pelas 20h00 na Praça da Alegria, altura em que o prémio será atribuído.

Juntamente com o Parque Biológico de Gaia será premiado o professor Viriato Soromenho-Marques, antigo presidente da Quercus, pelo seu empenho em defesa do ambiente.

[Notícia sugerida por Vitor Fernandes] 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close