Sociedade

Projeto quer incentivar fixação de jovens no Interior

A BLC 3 - Plataforma de Desenvolvimento da Região Interior Centro candidatou aos fundos comunitários da União Europeia um projeto com o objetivo de incentivar crianças e jovens para que estes venham a criar os seus projetos futuros no Interior.
Versão para impressão
A BLC 3 – Plataforma de Desenvolvimento da Região Interior Centro candidatou aos fundos comunitários da União Europeia um projeto com o objetivo de potencializar e valorizar o conjunto de experiências e saberes acumulado pelas crianças e jovens, para que estes venham, no futuro, a criar os seus próprios projetos nas regiões com menores índices de desenvolvimento.
 
 O projeto “Inovação Educacional para o Desenvolvimento Sustentável Transfronteiriço: Infanto-Juvenil (Trans-I-duca)” está avaliado em 1,7 milhões de euros e, de acordo com a BLC 3, está direcionado para um público-alvo de extrema importância para a economia da região interior do país e transfronteiriça.
 
Isto porque, adianta a plataforma, é “inquestionável o papel que as crianças e as gerações mais novas poderão desempenhar ao nível do desenvolvimento sustentável”, sendo que “a chave futura destas regiões com menores índices de desenvolvimento estará indissociavelmente ligada à capacidade de fixação destes jovens e de massa crítica”.
 
O Trans-I-duca pretende, portanto, despertar nos mais jovens a vontade de aproveitarem os recursos locais, a tecnologia e a inovação para se fixarem nestes territórios e os dinamizarem, oferecendo para isso ferramentas e modelos com “resultados concretos em termos culturais e de desenvolvimento sustentável”.
 
Em comunicado, a BLC 3 explica que entre os principais vetores do projeto estão a preservação e valorização do território, a criatividade, a inovação, o empreendedorismo, as questões ambientais, a saúde mental, e a estimulação e o desenvolvimento das capacidades cognitivas, apostando-se no “valor próprio de cada cidadão”.
 
Além disso, a plataforma pretende ainda construir um centro com capacidades investigacionais e de desenvolvimento tecnológico para receber e formar recursos humanos que funcionem como fio condutor em novos processos de aprendizagem nas classes etárias mais novas.
 
O projeto insere-se na temática da Agenda 21 Escolar e está a ser desenvolvido em consórcio com a Asociación para el Desarrollo Rural Integral de las Sierras de Salamanca (ADRISS) e a AAPIM – Associação de Agricultores para a Produção Integrada de Frutos e Montanha para ser executado até Junho de 2015.

[Notícia sugerida por Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close