Negócios e Empreendorismo

Projeto ajuda 12 mulheres a criar empresas no Minho

Em Guimarães, 12 mulheres vão poder criar os seus próprios negócios graças a um novo projeto de empreendedorismo que quer "maximizar as elevadas potencialidades do concelho" e, ao mesmo tempo, aumentar o número de postos de trabalho.
Versão para impressão
Em Guimarães, 12 mulheres vão poder criar os seus próprios negócios graças a um novo projeto de empreendedorismo. O Projeto Leme, como foi batizado, quer “maximizar as elevadas potencialidades do concelho” e, ao mesmo tempo, aumentar o número de postos de trabalho.
 
por Catarina Ferreira
 
Este projeto, promovido pela instituição vimaranense Adivs em parceria com a empresa de consultoria e formação Die Apfel e financiado pelo QREN, POP/CIG, Estado Português e Fundo Social Europeu (FSE), foi amplamente divulgado junto da comunidade vimaranense e recebeu candidaturas de 68 mulheres.
 
Destas, foram selecionadas 15 mulheres, com base no perfil motivacional e empreendedor, que frequentaram um curso de formação que decorreu nas instalações dos Bombeiros Voluntários das Caldas das Taipas e que incidiu sobre as áreas de igualdade de género, gestão, relações interpessoais e liderança e tecnologias de informação e comunicação com vista a dotar as formandas “de competências essenciais à gestão de um negócio”. 
 
Concluída esta fase, a equipa técnica, multidisciplinar, escolheu 12 das 15 mulheres que frequentaram a formação para avançar com os seus projetos, de acordo com “variáveis que permitem predizer o sucesso da atividade empresarial”, revela Benedita Aguiar, diretora da Die Afpel, em declarações ao Boas Notícias.
 
Segundo a responsável, as mulheres escolhidas, que apresentaram os projetos “mais sustentáveis”, vão receber, “além de apoio de consultoria individualizada, um prémio de incentivo ao arranque no valor de 5.030,64€, dado pela  Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, POPH, Qren, FSE e Estado Português”. 
 
Ao Boas Notícias, Benedita Aguiar garante que este prémio é “muito importante, porque permite alavancar a empresa”, e defende que, “visto que esta é uma região muito fustigada pelo desemprego, o Projeto Leme acaba por ser uma boa notícia, porque permitirá criar postos de trabalho e gerar riqueza”.

De acordo com a diretora da Die Apfel, as beneficiárias da iniciativa verão ainda as suas empresas “inseridas e divulgadas numa rede interempresas, ou seja, num portal WEB, que disponibilizará vários serviços”.
 
Entre estes serviços estão uma incubadora online de empresas, a emissão do estacionário da empresa (papel timbrado, envelopes, cartazes, cartões, etc.), um fórum temático, um espaço para divulgação de oportunidades de trabalho, notícias e eventos sobre empreendedorismo, entre outros. 
 
“O projeto constitui, desta forma, uma estratégia concertada de apoio ao empreendedorismo feminino, mediante o incentivo do associativismo e da comunicação virtual, tendo três objetivos-chave: criar o autoemprego; maximizar a capacidade empresarial e potenciar a participação na vida ativa e na esfera pública, por parte das beneficiárias”, conclui Benedita Aguiar. 

Alavanca para a dinamização de vários setores

 

As empresas em desenvolvimento e apoiadas pelo projeto operam em áreas diversas, desde a osteopatia ao catering. Ana Maria Mortágua, de 48 anos, por exemplo, criou a “Ana's Kitchen”, uma empresa nascida na zona de Fafe “que pretende servir desde canapés a menus altamente elaborados, em diferentes contextos: casamentos, copos de água, batizados, coffee-breaks, entre outros eventos”. 
 
Já Carla Rocha, de 34 anos, enveredou por caminho diferente ao criar a “Formiguinha”, com o objetivo de confecionar e comercializar artigos para bebé feitos à mão, que vão de caixas decoradas a álbuns personalizados de fotografias. Outro exemplo é o de Rosa Castro, de 31, que criou a “Osteopatias”, empresa que oferecerá aos clientes terapias para melhoria da saúde e qualidade de vida.
 
Em comunicado, o presidente da Advis, Cláudio Serra, sublinha que “tem havido, em Guimarães, uma forte aposta na dinamização de diferentes setores de atividade económica” e este projeto “irá contribuir para reforçar esse trabalho, pois permitirá alavancar 12 novas empresas geridas por mulheres”.

Elogiando o trabalho desenvolvimento pela Die Apfel, Cláudio Serra antevê “que a participação das promotoras, em concreto no mundo empresarial, será um sucesso”. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close