Saúde

Portugueses desenvolvem cirurgia estética inovadora

Uma equipa médica portuguesa acaba de assinar a mais recente inovação no campo da cirurgia estética, desenvolvida após três anos de investigação. Trata-se de uma técnica inovadora de rejuvenescimento facial para remodelar o contorno da face e do pesc
Versão para impressão
Uma equipa médica portuguesa acaba de assinar a mais recente inovação no campo da cirurgia estética, desenvolvida após três anos de investigação. Trata-se de uma técnica inovadora de rejuvenescimento facial para remodelar o contorno da face e do pescoço por via de um procedimento indolor, não invasivo e de recuperação mais acelerada do que as técnicas usadas atualmente.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a Clínica Ibérico Nogueira, clínica portuguesa que opera em Lisboa e no Algarve responsável pela novidade, explica que a equipa, coordenada pelo cirurgião plástico Francisco Ibérico Nogueira, desenvolveu um equipamento e técnica que permite a aplicação de energia de radiofrequência no tecido adiposo e muscular, eliminando a flacidez do rosto e do pescoço. 
 
Segundo os especialistas, entre os principais benefícios desta técnica está o cariz não invasivo, já que a mesma pode ser efetuada sem recurso a anestesia geral, sem necessidade de internamento e com base em incisões de dimensão mínima, resultando em “cicatrizes invisíveis”.
 
Outra das vantagens da alternativa portuguesa é o tempo de recuperação: ao contrário do que acontece com os métodos tradicionais de cirurgia estética (que exigem um período médio de recuperação de duas semanas), a nova técnica permite que o paciente regresse à rotina diária entre 48 a 72 horas após o procedimento, sendo o resultado final visível ao fim de uma semana.
 
De acordo com a clínica, este tipo de cirurgia pode ainda ser complementada, em simultâneo, com outras técnicas não invasivas de medicina estética, “mediante as necessidades” de cada um.
 
 “Esta nova técnica que desenvolvemos trará enormes benefícios aos doentes, pelas suas caraterísticas não invasivas e a rápida recuperação que proporciona, além de recorrer a pontos de incisão mínimos, que se traduzem em cicatrizes invisíveis”, esclarece o cirurgião Francisco Ibérico Nogueira, que liderou o desenvolvimento desta inovação.
 
“No entanto, os benefícios da prática vão exceder os pacientes, uma vez que esta representa um novo avanço na ciência médica e cirúrgica associada à estética”, salienta Ibérico Nogueira. “Este é um conhecimento e um avanço científico que irei partilhar em breve com a comunidade médica e científica internacional e que irá destacar Portugal ao nível da investigação e desenvolvimento nesta área da medicina”, conclui.

Cirurgia estética atrai estrangeiros a Portugal
 

Em Portugal, a medicina e a cirurgia estética têm atraído cada vez mais adeptos, apesar da crise económica, em parte graças aos clientes oriundos de mercados externos, com destaque para Angola, Moçambique, Reino Unido, Alemanha ou Mónaco. No caso da clínica Ibérico Nogueira, onde foi desenvolvida esta técnica de cirurgia estética, cerca de 50% dos clientes provêem do estrangeiro. 
 
O impacto económico da medicina estética alarga-se ainda ao estímulo ao turismo de saúde e de luxo, uma vez que, em média, um paciente que chega a Portugal para realizar este tipo de procedimentos permanece cerca de dois meses, tempo durante o qual tem também oportunidade de fazer turismo e compras.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close