Inovação e Tecnologia

Portugueses criam chão que produz eletricidade

NULL
Versão para impressão

Uma dupla de portugueses desenvolveu um projeto que produz eletricidade através da energia que as pessoas e os veículos libertam sobre uma superfície. Filipe Casimiro e Francisco Duarte, licenciados em engenharia eletromecânica, batizaram o mecanismo de Waynergy.

por Ana Rita Correia

Segundo explicou Francisco Duarte ao Boas Notícias, quando um automóvel ou uma pessoa caminha sobre a superfície Waynergy o seu movimento é absorvido pelas placas colocadas no pavimento. Essa energia é posteriormente convertida em eletricidade que pode ser consumida na zona em que se encontra o Waynergy.

Cada passo poderá produzir até 10 watts, enquanto que a passagem de um veículo pode chegar aos 240 watts de energia. Para se ter uma ideia do que isso significa, basta pensar que 200 quilowatts por hora é suficiente para alimentar uma casa durante um mês.

Desta forma, se existir um pavimento feito com blocos da Waynergy por exemplo numa paragem de metro, a conta de eletricidade daquela estação pode ser substancialmente reduzida. Um dos pontos mais interessantes desta tecnologia é que vai aproveitar energia que atualmente é desperdiçada.

O projeto está a ser dirigido pela empresa criada pelos dois engenheiros, a Waydip mas Francisco Duarte explicou que o Waynergy “ainda não está completamente concluído”. No entanto, o produto deve estar no mercado em 2012, e a dupla espera levá-lo ao panorama internacional até 2013. 

Este tipo de sistema não é novo. Ainda recentemente, a empresa japonesa Soundpower realizou testes em duas estações de comboio de Tóquio, por onde passam cerca de 2,4 milhões de pessoas por semana. Também o projeto piloto da israelita Innowattech foi testado entre 2008 e 2009 em rodovias e aeroportos: uma inovação que já está no mercado.

Gerar energia em aeroportos e passadeiras

O Waynergy deverá ser introduzido sob o alcatrão ou mesmo em substituição deste. As principais zonas de implementação são aquelas onde o movimento – quer de pessoas, quer de veículos – for maior.

“Em relação aos veículos, devem ser zonas de aceleração, como portagens e lombas, onde se perde muita energia”, disse Francisco ao Boas Notícias. Também locais de grande afluência como aeroportos, passadeiras e ginásios podem ser especialmente privilegiados.

O projeto nacional já recebeu dois prémios, no ano passado. Venceu o Prémio Inovação EDP Richard Branson 2010 e também o ISCTE-IUL MIT Portugal Venture Competition (Sistemas Sustentáveis de Energia e Transportes) 2010. Com estes galardões a dupla obteve um financiamento de 150 mil euros para concretizar a ideia.

Reduzir custos e ajudar o ambiente

A preocupação ambiental foi um dos motores de arranque do projeto. “Nos dias de hoje é necessário mudar o paradigma da geração de energia, face ao grande aumento dos custos dos combustíveis fósseis e seus efeitos para o ambiente”, explica o site da Waydip.

O mercado de consumo do Waynergy vai ser constituído especialmente por companhias que consomem eletricidade e que têm um espaço com grande afluência de pessoas ou veículos e que pretendam adquirir soluções económicas para gerar eletricidade e reduzir os custos da sua aquisição.

Clique AQUI para aceder ao site oficial do projeto.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close