Sociedade

Portuguesa vence Prémio de Excelência na Suíça

Uma finalista do curso de Arquitetura da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto foi distinguida com um Prémio de Excelência na Suíça. Sofia Santos foi a grande vencedora de um concurso que envolveu mais de 380 estudantes de todo o mundo.
Versão para impressão
Uma finalista do curso de Arquitetura da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto foi distinguida com um Prémio de Excelência na Suíça. A jovem Sofia Santos foi a grande vencedora de um concurso que envolveu mais de 380 estudantes de todo o mundo.
 
O Prémio de Excelência foi entregue à portuguesa no âmbito de um projeto da Escola de Hotelaria de Lausana (EHL), na Suíça. O concurso desafiou estudantes de Espanha, Coreia do Sul, Argentina, Chile, Índia, EUA, Eslováquia, Suíça e Portugal a desenhar um esboço da expansão das instalações da escola daquele país. 
 
Este prémio “é o reconhecimento de um trabalho que, ainda que individual, envolveu também um grupo de alunos e de colegas da FAUP, bem como o professor Nuno Brandão Costa”, revelou a aluna à agência Lusa.
 
O projeto que desenhou para a ampliação da escola foi distinguido na passada quinta-feira à noite, na EHL, durante um encontro de estudantes internacionais que participaram no programa.

Portuguesa vai integrar gabinete de arquitetura suíço
 

Sofia Santos tem 25 anos e é natural do Porto. Depois de, em 2012, ter sido igualmente distinguida com o Prémio Secil Universidades, a aluna vai agora ter a oportunidade de, juntamente com outros três universitários distinguidos nesta iniciativa, integrar a equipa de arquitetos do gabinete de Rithter Dahl Rocha, em Lausana.
 
Em conjunto, os quatro alunos selecionados serão responsáveis pela elaboração do projeto final de ampliação da escola, cuja execução deverá arrancar em 2014.
 
Sofia, para quem esta oportunidade de trabalho na Suíça “é irrecusável”, sente que esta distinção é de “grande responsabilidade”, por implicar que daqui para a frente tudo o que faça “tenha que ser tão bom como foi até agora”.
 
O projeto que apresentou para a EHL teve em consideração o facto de “existirem diferentes tipos de alunos” naquela escola internacional (80% estrangeiros), projetando “diferentes tipos de espaços e de quartos, associados a formas diferentes de habitar”.
 
“Acho que foi aí que me destaquei”, sublinhou. Entre outros espaços, a aluna projetou a construção de um hotel de cinco estrelas com 100 quartos, uma residência estudantil com 950 quartos e instalações desportivas interiores e exteriores.
 
O professor da FAUP e arquiteto Nuno Brandão Costa, convidado pela EHL e pelo arquiteto Ignasio Dahl Rocha a abraçar esta iniciativa, considera que a atribuição deste Prémio de Excelência a Sofia “foi excelente” e que, sendo “bom para a faculdade, não deixa de ser muito bom para a arquitetura portuguesa em geral, que se tem vindo a afirmar”.
 
Nuno Brandão Costa classifica o projeto da estudante como “uma resposta de grande simplicidade a um problema complexo” ao “integrar de uma forma muito inteligente os elementos naturais e artificiais existentes (tipografia, vias e edifícios)”.
 
Para o professor, Sofia é um exemplo de “como os portugueses chegam a estes sítios e têm capacidade de competir e vencer”.

Notícia sugerida por Elsa Fonseca

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close