Ciência

Português vai gerir o mais antigo planetário dos EUA

O investigador português Pedro Raposo foi escolhido para gerir a coleção de instrumentos astronómicos do Adler Planetarium, em Chicago, o mais antigo planetário dos EUA.
Versão para impressão
O investigador português Pedro Raposo, do Centro Interuniversitário de História das Ciências e Tecnologia da Universidade de Lisboa e da Universidade Nova de Lisboa, foi escolhido para gerir a coleção de instrumentos astronómicos do Adler Planetarium, em Chicago, o mais antigo planetário dos EUA. 
 
Em declarações à Lusa, Pedro Raposo, que foi selecionado na sequência de um processo de recrutamento que incluiu várias entrevistas e provas, bem como um 'workshop', revelou que vai assumir o cargo de curador, com caráter permanente, logo que obtenha o visto para residir naquele país.
 
“O planetário quer que seja a 01 de Fevereiro”, contou o português, explicando que vai ser responsável pela gestão da coleção de instrumentos de astronomia, “uma das mais importantes do mundo”, que integra os astrolábios e telescópios “mais antigos do continente americano”. 
 
De acordo com Pedro Raposo, os seus objetivos à frente do planetário norte-americano vão passar por promover a investigação, facilitar o acesso do público à coleção mediante exposições e plataformas digitais e alargar o acervo, nomeadamente a instrumentos representativos da astronomia contemporânea. 
 
Para 2015, o investigador tem também previsto o lançamento do livro “O Gigante da Tapada: Campos Rodrigues e o Observatório Astronómico de Lisboa” (OAL), uma biografia do astrónomo, que foi diretor do OAL entre 1890 e 1919 e premiado em 1904 pela Academia de Ciências de Paris pela “grande precisão das observações astronómicas”.
 
A obra, adiantou Pedro Raposo, aborda ainda “vários temas que se ligam com a atividade, a carreira” de Campos Rodrigues, como a uniformização da hora em Portugal.
 
Atualmente, o português está a fazer um pós-doutoramento no Centro Interuniversitário de História das Ciências e Tecnologia da Universidade de Lisboa e da Universidade Nova de Lisboa que se debruça sobre o desenvolvimento, em Portugal e nas antigas colónias, das ciências exatas ligadas à história da Astronomia.
 
Inaugurado em 1930, o Adler Planetarium é um centro científico que tem três salas de projeção, um grupo de investigação em astrofísica, um centro de imagem e visualização do espaço, um observatório e um instituto para a história da astronomia.
 
O Webster Institute for the History of Astronomy, integrado no planetário, tem a seu cargo a coleção de instrumentos que Pedro Raposo vai gerir, bem como de livros, mapas do céu, imagens e manuscritos com modelos do Cosmos.

Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close