Ambiente

Portugal: 72% de eletricidade “verde” no 1º semestre

A produção total de energia elétrica a partir de fontes renováveis atingiu níveis recorde em Portugal no primeiro semestre de 2013, chegando aos 72% (um aumento absoluto de 34% em relação aos 38% verificados no período homólogo de 2012).
Versão para impressão
A produção total de energia elétrica a partir de fontes renováveis atingiu níveis recorde em Portugal no primeiro semestre de 2013, chegando aos 72% (um aumento absoluto de 34% em relação aos 38% verificados no período homólogo de 2012). Além disso, observou-se ainda, ao longo dos primeiros seis meses do ano, uma redução de 25% nas emissões de CO2.
 
Estas são as duas conclusões de um balanço efetuado pela Quercus acerca da produção de eletricidade em Portugal Continental durante aquele período com base nos dados fornecidos pela REN – Redes Energéticas Nacionais.
 
Em comunicado, a organização de proteção ambiental portuguesa explica que este se aumento deveu, por um lado, “à significativa potência instalada de renováveis, mas principalmente às condições climáticas verificadas, num ano que até agora tem sido mais húmido do que o normal, permitindo um maior recurso à utilização de energia hídrica, e também mais ventoso, resultado numa maior produção eólica”.
 
Segundo os dados da REN, a produção de eletricidade de origem renovável em regime especial (a PRE-FER, que representa toda a produção de energia elétrica renovável exceto a grande hídrica) aumentou, correspondendo a 49% de toda a eletricidade produzida em Portugal Continental entre Janeiro e Junho de 2013.
 
Já no que toca à eletricidade de origem fóssil, observou-se um recuo no uso de carvão na ordem dos 22%, o que, aliado ao muito maior peso da produção renovável, conduziu a uma redução de emissões entre os dois primeiros semestres de 2012 e 2013 de cerca de 1,9 milhões de toneladas de dióxido de carbono (ou seja, este ano, as emissões poluentes foram inferiores em 25% face aos primeiros seis meses de 2012).

100% de eletricidade “limpa” até 2050
 

A Quercus destaca ainda o facto de, durante este período, Portugal ter exportado 50% mais eletricidade do que importou, “uma situação completamente contrária” àquela que se verificou no semestre homólogo do ano passado.
 
A associação salienta que “Portugal tem um enorme potencial para o aproveitamento das energias renováveis, em particular aquelas com menor impacto ambiental, como é o caso da energia solar, um recuros abundante no nosso país e cujos custos de investimento e exploração têm vindo a descer de forma lenta”.
 
“Tal facto, aliado a uma eficiência e poupança energéticas significativas que devem ser incentivadas em setores como o dos transportes, serviços e residencial, podem assegurar uma menor dependência do exterior e uma maior sustentabilidade”, conclui a Quercus, que quer Portugal a produzir 100% de eletricidade a partir de fontes renováveis “até ao ano de 2050”.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close