Sociedade

Petição e manifestação pela demissão de Relvas

Foi criado, há poucos dias, no Facebook, um grupo que apela à demissão de Miguel Relvas, com o objetivo de demonstrar ao Governo a insatisfação dos portugueses e "culminar com meios de ação" para o afastamento do ministro dos Assuntos Parlamentares.
Versão para impressão
Foi criado, há poucos dias, no Facebook, um grupo que apela à demissão de Miguel Relvas, com o objetivo de demonstrar ao Governo a insatisfação dos portugueses e “culminar com meios de ação” para o afastamento do ministro dos Assuntos Parlamentares. O grupo tem já mais de 2.500 assinantes e o número aumenta de minuto a minuto.
 
A indignação expressa pelos membros que aderiram à página, cujo número está a aumentar com grande rapidez, tem sido partilhada por centenas de cidadãos nas redes sociais e prende-se com as informações que vieram a público nas últimas semanas dando conta de que Relvas concluiu a licenciatura em Ciência Política, na Universidade Lusófona, em apenas um ano.
 
Na página “Petição Pela Demissão de Miguel Relvas do Governo” multiplicam-se, além de opiniões pessoais, imagens que fazem a sátira da forma como o ministro se terá licenciado. Apesar da sua breve existência, a ideia angariou até o apoio de personalidades reconhecidas como o político António Garcia Pereira, o jornalista Paulo Querido e o musicólogo Rui Vieira Nery.
 
Segundo o ministro, que falou ao jornal i a propósito do seu percurso académico, este terá sido “encurtado por equivalências reconhecidas e homologadas pelo Conselho Científico da referida universidade, em virtude da análise curricular a que se procedeu previamente”.
 
Porém, as explicações do governante não terão convencido os portugueses, em especial os autores da iniciativa, que preferem não ser identificados mas estão, inclusive, a organizar uma manifestação pela demissão de Miguel Relvas.

Mais exigência no recrutamento para cargos políticos
 

“O recrutamento para cargos políticos não pode contentar-se com este grau mínimo de exigência, sobretudo para um ministro que é o 'número dois' do Governo”, defendem, através de uma petição online cujo texto foi divulgado pelo semanário Sol.
 
“A responsabilidade significa, neste caso, o poder de que uma Assembleia dispõe para forçar um ministro a pedir a demissão”, acrescentam, recordando, no mesmo documento, o envolvimento de Relvas noutros casos polémicos como o das Secretas e das alegadas pressões ao jornal Público.
 
A manifestação convocada pelos fundadores do grupo está marcada para o próximo dia 16 de Julho pelas 19.00h e, segundo os próprios, “tem como objetivo concreto apelar à demissão de Miguel Relvas e exigir a dignidade dos órgãos que nos representam”, não sendo “contra a crise, nem contra a Troika, nem contra o estado miserável do mundo”.
 
Por este motivo, e por se tratar de uma iniciativa “apartidária”, decorrerá em frente à Assembleia da República, “órgão máximo da representação dos portugueses”. Até ao momento, mais de 650 pessoas confirmaram já a sua presença através do Facebook.
 
Clique AQUI para aceder ao grupo e AQUI para aceder à página da manifestação no Facebook.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close