Cultura

Palhaços portugueses levam riso à Palestina

NULL
Versão para impressão

O grupo de palhaços Irmãos Esferovite vai participar no FestiClown Palestina, um festival de circo, palhaços e risoterapia. O Festival vai ocorrer pela primeira vez na Palestina, mas já se realiza desde 2002 em Espanha, na Galiza. Organizado pela associação cultural e de cooperação internacional Pallasos en Rebeldía (Palhaços da Rebeldia) o festival vai prolongar-se de dia 2 até 15 de Setembro.

Esta é também a primeira vez que a equipa portuguesa, composta pelos artistas Pedro Correia, André Marques, Luís Almeida e Sérgio Cardoso participa. Em declarações à Agência Lusa, Pedro Correia disse estar entusiasmado com a participação e assegura que todos estão ” preparados para levar a alegria e quebrar os muros necessários para as pessoas serem um pouco mais felizes”.

A localização do festival não foi escolhida por acaso. O conflito permanente no país é um foco de preocupação para os organizadores. Como pode ler-se no site do FestiClown Palestina, “A humanidade não é um direito nem uma condição, é uma rede invisível que rodeia todos os corações que habitam o planeta. Cada vez que alguém ataca esta membrana em qualquer lugar do mundo, o coração coletivo que somos é afetado”.

A frase é de Iván Prado, mas o festival adotou-a como mote. A luta contra as consequências negativas da guerra é um dos objetivos dos organizadores, assim como o é fazer da risoterapia uma medida de luta contra a discriminação e depressão, como refere o site.

Grupo português actua já este sábado 

O Festiclown Palestina vai ter lugar nas cidades de Jerusalém e Cisjordânia. Ao lado dos Irmãos Esferovite vão estar mais de 15 companhias internacionais e algumas palestinianas.

O grupo português vai ter várias atuações em escolas e na rua. A participação no Samanablus Big Show, do dia 3, deverá ser uma das mais importantes. Além destes sítios, o festival irá deslocar-se até hospitais, teatros, campos de refugiados e outros locais em que o riso faça falta.

Para Os Irmãos Esferovite, especialistas em misturar humor, música e artes circenses, o objetivo principal é “quebrar a monotonia” do conflito e dar cor a “esse lado mais cinzento”, explicaram à Lusa.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close