Fitness & Bem-estar

Oficina da Psicologia: Você é uma estrela!

Andamos por aí, a viver a nossa vida sossegadamente (ou talvez não) e escapa-se-nos a nossa verdadeira identidade de estrela!
Versão para impressão
Andamos por aí, a viver a nossa vida sossegadamente (ou talvez não) e escapa-se-nos a nossa verdadeira identidade de estrela!
 

[Por Madalena Lobo, Psicóloga Clínica]

Image and video hosting by TinyPic

De uma forma geral, você é uma estrela porque para ter chegado aqui, hoje, seja qual for a sua idade e a sua história de vida, foi preciso engenho, coragem, aprendizagens complexas, uma adaptação elevada aos desafios que o rodeiam, capacidade de encaixe, contenção, disciplina… Se parar um pouco para refletir sobre tudo o que foi exigido de si no percurso de vida, rapidamente poderá sentir o toque reparador de uma pontadazinha de orgulho e sentir-se aquecer com o calor das estrelas.
 
Mas apesar disso, tal como as estrelas, podemos encontrar-nos num movimento de expansão ou de retração, sem que também reparemos nisso no nosso dia-a-dia. E isto é fundamental, porque as fases de expansão são a base do bem-estar e crescimento e só elas contêm as sementes de um futuro pleno e de satisfação pessoal. As fases de retração, ainda que surjam regularmente como pequenas paragens para reabastecimento energético, devem ser detetadas por cada um de nós e ser mantidas curtas, para que a viagem não perca o ritmo.

Deixo-lhe algumas perguntas orientadoras para que possa refletir sobre a fase em que se encontra agora e que o ajudem a ligar a ignição e por em marcha uma fase de expansão pessoal, no caso de estar em retração:

No domínio intelectual: atravessa os dias com curiosidade no que se passa à sua volta e com curiosidade a propósito de si próprio? Tem por hábito considerar várias perspetivas para uma mesma situação (ou assume a sua perspetiva e fecha-se a ângulos diferentes, rejeitando-os como “errados” logo ao primeiro contacto)? Vai enriquecendo a sua visão sobre a vida com diferentes domínios do conhecimento (ou vai afunilando a sua atenção de acordo com interesses pouco elásticos)? Tem consciência daquilo que são os seus raciocínios habituais e mantém-nos presentes como fontes de informação sobre si quando reage e toma decisões (ou apenas é levado por aquilo que pensa sem se aperceber de que pode pensar de forma diferente)?
 
No domínio emocional: acolhe com curiosidade as emoções que perpassam por si diariamente, tentando aprender com elas sobre si próprio (ou foge automaticamente das emoções, sobretudo das que sente como desagradáveis, como a tristeza ou a ansiedade)? Expõe-se a situações que não lhe são habituais, considerando que qualquer eventual desilusão é apenas mais uma oportunidade de aprendizagem (ou gere a sua vida emocional com barreiras apertadas para não correr riscos de se confrontar com sentimentos de fracasso pessoal, desapontamento ou sentimentos de rejeição)?
 
No domínio comportamental: Tem uma postura maioritariamente “’Bora aí” quando se depara com uma possibilidade nova (ou prefere o “É melhor não”)? Vai em frente, mesmo quando o frio se instala no estômago (ou prefere o conforto do conhecido e rotineiro)? Analisa consequências tangíveis quando toma uma decisão de rumo (ou pondera sobretudo em consequências emocionais, desistindo das ações quando estima que existe a probabilidade de não se sentir totalmente bem, independentemente dos restantes resultados)?
 
No domínio interpessoal: Tem comportamentos de generosidade, atenção ao outro, solidariedade, apoio, tolerância (ou está demasiado centrado sobre si próprio)? Convive e parte com uma mente aberta para a descoberta de outros que aparentam ser diferentes das suas relações habituais (ou opta por se resguardar de pessoas que com quem não encontra semelhanças imediatas)? Lida com os outros de coração aberto, ainda que sabendo que, por vezes, sentirá dor (ou protege-se em demasia, encolhendo-se numa concha protetora de isolamento, apenas espreitando com cautela e raramente permitindo entradas)?
 
Lembre-se: você é uma estrela e disso não restam dúvidas. Mas convém que seja uma estrela maioritariamente em expansão para poder aproveitar e irradiar ao máximo a luz disponível.

Image and video hosting by TinyPic[Madalena Lobo é Diretora Geral da Oficina de Psicologia. Para saber mais sobre este projeto visite www.oficinadepsicologia.com ou http://www.facebook.com/oficinadepsicologia]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close