Em Destaque Nutrição

Nuno Palas: Se o frio trouxer diariamente a sopa, bem-vindo seja!

A sopa é um alimento muito interessante sob o ponto de vista nutricional.
Versão para impressão

 

por Dr. Nuno Palas, nutricionista

O outono e o frio chegaram em força. E com eles um ótimo período para muitas famílias portuguesas, uma vez que agora reintroduzem a sopa na dieta alimentar. O verão é propício a refeições mais leves e frescas, e a sopa, fundamental para miúdos e graúdos, acaba por ser ingerida poucas vezes ou quase nunca.

Por isso, bem-vindo outono, bem-vindo frio!

A sopa é um alimento muito interessante sob o ponto de vista nutricional, em qualquer estado e em qualquer idade. É ainda fundamental num regime de perda de peso por ser baixo em calorias, mas muito rico em nutrientes – tem uma elevada densidade nutricional.

E, claro, não há sopa como a nossa, como a portuguesa. Aliás, é um dos alimentos que os portugueses a viver fora do país sentem mais falta.

A sua qualidade nutricional é inegável, fundamentalmente por ser rica em vitaminas, minerais, fibra, antioxidantes e água. Se for enriquecida com leguminosas (feijão, grão, lentilhas) pode ser ainda uma fonte interessante de ferro, cálcio e fósforo, por exemplo.

Existem variadíssimas sopas e não há fórmulas perfeitas, nem erradas. Cada uma tem a sua “alma” gastronómica e todas, desde que bem feitas, serão um alimento que enriquecerá qualquer dieta alimentar. É frequente perguntarem-me qual ou quais as melhores sopas e a minha resposta não varia – qualquer uma! Pode, inclusive, para espanto de muitos, conter batata, apesar de eu preferir o uso de leguminosas como base, principalmente quando ela é o principal da refeição.

No entanto, há dois perigos a ter em consideração. O principal é o sal. A sopa é, segundo alguns estudos, um dos alimentos que mais contribui para ingestão de sal em excesso. A solução passa pelo uso de ervas aromáticas ou pelo treino do palato para redução do sal.

O outro cuidado é a adição de gordura. Apesar de lhe poder conferir mais algum sabor, começar a sopa pelo refogado/estrugido dos legumes, mesmo que não implique a adição de mais gordura (azeite), vai inevitavelmente criar um alimento final com um maior teor de gordura saturada. Colocar o azeite “em cru” já depois da sopa finalizada é a melhor solução.

Por isso, não se esqueça: enriqueça a sua alimentação com nutrientes reguladores (fundamentais para o normal funcionamento do organismo), nutrientes protetores (importantes nos estados gripais) e água – através da ingestão de sopa – mantendo uma baixa ingestão de sal e preservando, em cru, a melhor gordura, o azeite.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close