Inovação e Tecnologia

Novo software prevê alterações ambientais

O futuro dos ecossistemas poderá ser previsto com um software da Microsoft que pretende conhecer quais os efeitos que as mudanças climáticas e o desaparecimento de predadores poderão ter no meio ambiental.
Versão para impressão
O futuro dos ecossistemas poderá ser previsto através de um software da Microsoft que pretende conhecer quais os efeitos que as mudanças climáticas e o desaparecimento de predadores poderão ter no meio ambiental.
 
O Grupo de Ecologia Computacional e Ciência Ambiental da Microsoft (CEES, sigla em inglês) revela, no site da empresa, que o projeto pretende “desenvolver soluções cruciais para os desafios globais que a humanidade enfrenta atualmente, incluindo mudanças climáticas, perda e degradação de ecossistemas, segurança alimentar e pandemias mundiais”.
 
O software que se encontra em desenvolvimento terá a capacidade de definir com precisão um modelo de ecossistema natural, designado de Modelo de Ecossistema Genérico (GEM).

Segundo o CEES, este trabalho tem em vista “o desenvolvimento de uma nova forma de ecologia computacional que um dia vai permitir uma aproximação mais racional para a gestão dos ecossistemas no mundo, quer sejam naturais, seminaturais ou artificiais”.
 

Nos últimos dois anos, o grupo desenvolveu um protótipo do GEM destinado aos ecossistemas terrestre e marinho, estando previsto o seguimento de uma nova fase destinada a toda a vida animal, entre herbívoros, omnívoros e carnívoros.

Resposta do ecossistema às atividades humanas
 

Os investigadores estão, neste momento, a recolher a maior quantidade possível de dados ecológicos para que seja possível projetar um modelo de ecossistema, através de informações sobre as suas funções e sobre os organismos que nele existem. O objetivo principal será criar uma ferramenta capaz de acompanhar os factores de alteração do meio ambiente.
 
Para o CEES “as mudanças climáticas estão longe de ser o único desafio global”. A equipa da Microsoft entende que a existência de “uma população em expansão com um uso de recursos crescente está a resultar numa alarmante perda e degradação dos ecossistemas”.

Por isso, os investigadores acreditam que é possível equilibrar esta evolução através de “modelos globais e preditivos de resposta do ecossistema às várias atividades humanas”.
 

O CEES conta com o apoio de uma equipa da Microsoft Research em Cambrige, Inglaterra, e do Centro Mundial de Monitoramento da Conservação da ONU para o desenvolvimento deste projeto.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close