Saúde

Nova proteína pode acabar com todas as doenças

Investigadores norte-americanos identificaram uma proteína que será responsável por quase todas as doenças humanas, desde infeções virais e bacterianas, a doenças como a gripe, a hepatite ou mesmo o cancro.
Versão para impressão
Investigadores norte-americanos identificaram uma proteína que será responsável por quase todas as doenças humanas, desde infeções virais e bacterianas, a doenças como a gripe, a hepatite ou mesmo o cancro. A equipa encontrou ainda uma substância que pode ser aplicada sobre este alvo criando novas terapias para estes problemas.

Em comunicado de imprensa, a Universidade Commonwealth da Virgínia  (VCU, sigla em inglês), explica que a proteína GRP78 pode ser o alvo terapêutico para curar diversas doenças.

Os investigadores criaram um novo medicamento a partir da combinação de dois componentes – o OSU-03012 (AR-12) e o Phosphodiesterase (presente no Viagra e no medicamento Cialis) – que atinge a GRP78 e outras proteínas relacionadas.

Desta forma, os investigadores conseguiram impedir a replicação de uma enorme variedade de vírus e infeções. A equipa demonstrou ainda que o novo medicamento é capaz de eliminar células cancerígenas cerebrais.

“Conseguimos provar que ao atacar a GRP78 e outras proteínas, inibimos a reprodução de vírus e somos capazes de matar superbactérias resistentes a antibióticos”, resume o líder da investigação, Paul Dent, professor do Departamento de Bioquimestria e Biologia Molecular da VCU.

GRP78 pertence a uma família de proteínas conhecida como chaperona, uma substância que as doenças utilizam para criar resistência a fármacos, através da sua reprodução em massa.

“Esta descoberta abre novas portas para o tratamento de infeções virais, muitas delas que até agora se acreditava que eram incuráveis”, garante o mesmo investigador.

“Conseguimos provar que a chaperona é uma 'droga' que faz com que os vírus se reproduzam e se espalhem, criando resistência aos fármacos”, acrescenta Paul Dent no mesmo comunicado.

O estudo, realizado também por Laurence Booth e Jane Roberts, foi publicado em Dezembro na revista científica 'Journal of Cellular Physiology'.

Esta não é a primeira vez que se descobrem as vantagens de componentes do Viagra no combate a doenças. Em 2010, Paul Dent e Rakesh Kukreja descobriram os benefícios dos comprimidos usados para a disfunção erétil na cura do cancro da mama, e em 2013, Paul descobriu que o Viagra ajuda no combate ao cancro do cérebro.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close