Em Destaque Sociedade

NOS e ENTRAJUDA aliam-se contra a infoexclusão

Unidas em prol da democratização do acesso às tecnologias da informação, nomeadamente junto de comunidades mais desfavorecidas, a NOS e a ENTRAJUDA assinaram um protocolo de cooperação que visa entregar computadores a IPSS nacionais.
Versão para impressão

Isabel Borgas, diretora de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da NOS, e Isabel Jonet, presidente da ENTRAJUDA, assinaram em representação das duas entidades, um protocolo de parceria que visa, através da doação de 300 computadores, monitores e respetivos periféricos, contribuir para a inclusão digital daqueles que ainda se deparam com dificuldades de acesso a estes equipamentos.

Esta iniciativa ganha ainda mais relevância, depois de conhecidos os números do barómetro GFK-MUDA que revela que, apesar de cada vez em menor número, 19% da população portuguesa ainda não utiliza internet. A principal razão apontada para esta não utilização, por 43% dos inquiridos, é o facto de não saber usar a internet. No entanto, 26% refere que não possuir os equipamentos necessários é ainda uma barreira para a utilização da internet.

Para além do impacto positivo a nível social, esta parceria traz ainda benefícios ambientais ao contribuir para um menor desperdício de recursos e promovendo uma economia circular de equipamentos informáticos, através da sua reutilização.

Os equipamentos que compõem a doação são cedidos pela NOS cabendo à ENTRAJUDA a distribuição dos mesmos, em função das necessidades identificadas junto da sua rede de instituições parceiras.

Segundo Isabel Borgas, “Numa era global e cada vez mais digital, a tecnologia tornou-se um meio fundamental para ligar as pessoas. Acreditamos que em rede, através de parcerias como esta que agora celebramos com a ENTRAJUDA, a NOS não só está a contribuir para uma sociedade mais sustentável, como reforça o seu papel de agente ativo na capacitação para as competências digitais das organizações do terceiro setor”.

“Também no setor social a tecnologia é hoje determinante. Sensibilizar empresas para a possibilidade de doarem equipamentos que já não têm utilidade para o seu dia-a-dia mas que podem gerar muito valor social é uma das prioridades da ENTRAJUDA, no âmbito do Banco de Bens Doados e enquadra-se totalmente no conceito de Economia Circular: dar nova vida a equipamentos que teriam como destino provável a destruição, protege o ambiente e neste caso específico contribui para reforçar a rede de solidariedade social. Os equipamentos doados pela NOS serão entregues a instituições que podem assim ter meios e lutar com mais eficiência contra a pobreza”, declara Isabel Jonet.

*Fonte: Barómetro GFK/MUDA de maio de 2018.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close