Fitness & Bem-estar

New York Times passa 36 horas em Lisboa

Já não é novidade que Lisboa faz as delícias da imprensa internacional. Desta vez, o histórico jornal New York Times (EUA) passou 36 horas na capital portuguesa e deixou um roteiro detalhado da cidade para os seus leitores.
Versão para impressão
Já não é novidade que Lisboa faz as delícias da imprensa internacional. Desta vez, o histórico jornal New York Times (EUA) passou 36 horas na capital portuguesa e deixou um roteiro detalhado da cidade para os seus leitores.
 
O artigo vem acompanhado de um vídeo, com cerca de seis minutos de duração, que contém breves entrevistas com responsáveis dos vários espaços referidos pelo jornalista e de outros locais que ficaram fora do roteiro, como o Palácio da Pena ou os Pastéis de Belém.
 
“Tudo o que é antigo se renovou na capital portuguesa”, diz o autor do artigo  Seth Sherwood que destaca as colinas da metrópole sobre o rio Tejo. 
 


“Os antigos mercados foram alvo de ambiciosas renovações (…), antigos bairros decrépitos tornaram-se zonas ‘in’ para fazer compras e as áreas ribeirinhas estão a fervilhar de vida noturna”, garante. 

Por outro lado, diz o artigo, “as preciosidades clássicas e históricas (…) permanecem de uma beleza intacta complementando os bairros regenerados”.

O roteiro arranca no Terreiro do Paço e na recém-inaugurada Ribeira das Naus salientando a renovação que “durante muitos anos” fez falta à cidade. Graças à renovação, a margem do rio está cheia de “pessoas a correr, ciclistas ou gente simplesmente a passear”. 

Da beira rio, o percurso segue para o Mercado da Ribeira, datado do século XIX, que foi ‘tomado’ pela revista Time Out. Seth destaca iguarias de vários estabelecimentos como o Prego da Peixaria ou os pratos crus da Tartar-ia. 

O Cais do Sodré e a zona da Bica são os locais eleitos para saídas boémias, enquanto as lojas recomendadas para compras são da zona do Príncipe Real, destacando o espaço comercial “Embaixada” onde e possível encontrar um puco de tudo, desde as elegantes peças de lã portuguesa, as latas de sardinha.

Seth avisa que os domingos são “dorminhocos” em Lisboa, sublinhando que esse é um bom dia para “abanar a alma” com as obras do Museu Nacional de Arte Antiga onde se encontrar preciosidades como quadros de Hieronymus Bosch’s. O café do Museu, com vista sobre esta cidade “em constante renovação”, remata o roteiro do NYT em Lisboa. 
 

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close