Fitness & Bem-estar

Música, oficinas e jantar vegetariano na Costa

Workshops e oficinas - de olaria, de compostagem doméstica, de yoga, entre outros - venda de produtos biológicos e de comércio justo, filmes, música e um jantar com mais de 15 pratos vegetarianos é a proposta do Projecto270 para celebrar, este sábado
Versão para impressão
Workshops e oficinas – de olaria, de compostagem doméstica, de yoga, entre outros – venda de produtos biológicos e de comércio justo, filmes, música e um jantar com mais de 15 pratos vegetarianos é a proposta do Projecto270 para celebrar, este sábado, dia 10 de abril, a luta do mexicano Zapata. Todas as actividades são gratuitas e jantar terá o custo de 10 euros.

O Projecto 270 lançou o convite, através da sua newsletter: quem tiver conhecimentos, produtos biológicos e artesanais, música ou outra coisa para partilhar, que se juntasse à comemoração da vida de Zapata, cuja morte se assinala este sábado, dia 10 de abril.

“A resposta das pessoas superou as nossas expectativas”, salientou Nuno Belchior, responsável do Projecto270, e assim conseguiram organizar um evento totalmente gratuito com dezenas de oficinas, workshops, venda de produtos biológicos, música e, para terminar, um jantar vegetariano e biológico com mais de 15 pratos.

A festa, que decorre no espaço do Projecto270, na Costa da Caparica, começa às 16h com música e prolonga-se até ao fim da noite. As iniciativas são gratuitas e os participantes não pagam qualquer valor para exporem os seus conhecimentos ou venderem os seus produtos.

O objetivo é celebrar a luta de Emiliano Zapata, um mexicano que, no início do século XX, dedicou a sua vida à luta contra o regime autocrático do país e à defesa da partilha da terra e da colheita.

Nuno Belchior salienta que o Projecto270 luta por objetivos semelhantes aos de Zapata. “Trabalhamos à base da cidadania participativa e trabalhamos com a terra, com produtos biológicos… O próprio Zapata estava muito ligado aos direitos dos agricultores”.

“Ao assinalar desta forma gratuita e participativa a morte e a vida de Zapata queremos marcar uma posição contra a agro indústria que torna cada vez mais difícil a vida pequenos agricultores porque a produção está toda concentrada nas grandes empresas”.

Mais vale “viver” de pé do que viver de joelhos, é o mote do encontro, subvertendo a famosa máxima de Zapata, “Mais vale morrer de pé que viver de joelhos”. “Alterámos ligeiramente a frase porque achamos que a luta de Zapata ainda não morreu”, acrescentou Nuno Belchior.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close