Cultura

Michael Jackson celebrado um ano depois

No dia em que passa um ano sobre a morte de Michael Jackson, os EUA prestam homenagem ao "rei do pop". Os principais eventos decorrem em Los Angeles onde Jackson está enterrado, e na sua terra natal, Gary, onde será inaugurado esta sexta-feira um mus
Versão para impressão
No dia em que passa um ano sobre a morte de Michael Jackson, os EUA prestam homenagem ao “rei do pop”. Os principais eventos decorrem em Los Angeles onde Jackson está enterrado, e na sua terra natal, Gary, onde será inaugurado esta sexta-feira um museu.

Um ano após a morte do músico norte-americano o cemitério em Los Angeles, Califórnia, onde está enterrado, autorizou fãs a depositarem flores próximo do túmulo mas apenas família e amigos terão acesso ao interior do mausoléu.

Ainda na Califórnia, a família de Michael Jackson aprovou uma cerimónia intitulada “Forever Michael”, que decorrerá num hotel em Beverly Hills, e rumará a Gary, no estado de Indiana, onde Michael  cresceu, para uma vigília.

Ainda na sua cidade natal, no estado de Indiana, será inaugurado um monumento em seu nome num ato que contará com a presença de sua mãe, Katherine Jackson, e que será seguido por uma vigília com velas e a interpretação da música “We Are The World”.

Em Detroit, inaugurou esta semana, no Motown Historical Museum, uma exposição sobre a carreira dos Jackson 5.

Em Londres, a data foi lembrada ontem com o descerrar de uma placa no Lyric Theatre, o recinto onde está em cena o musical Thriller Live”.

Michael Jackson é o maior artista de todos os tempos segundo o Guinness Book por ter vendido 750 milhões de cópias em toda a sua carreira. “Thriller”, lançado em 1982,  é o álbum mais vendido da história, superando discos de artistas como os Beatles, Elvis e Abba. Vendeu 120 milhões de cópias.





Fortuna depois da morte

Apesar do sucesso, nos últimos anos da sua vida Michael Jackson estava afundado em dívidas superiores a 400 milhões de dólares. Um ano depois de morrer, reedições de discos, os dvds, o merchandising e outros produtos lançados em seu nome estão a resultar em lucros milionários.

Segundo o jornal Expresso, especialistas norte-americanos em celebridades acreditam que em breve Michael Jackson vai superar a popularidade do “rei do rock”, Elvis Presley.

Michael Jackson morreu aos 50 anos em Los Angeles de overdose de analgésicos, sedativos e de propofol, um potente anestésico indicado apenas para uso hospitalar e que o cantor já utilizaria há algum tempo. O seu médico assistente, Conrad Murray, está a responder judicialmente pela acusação de homicídio involuntário e aguarda julgamento. Murray declara-se inocente.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close