Saúde

Método do canguru alivia dor nos recém-nascidos

Uma investigadora portuguesa da Escola de Enfermagem de Coimbra demonstrou na sua tese de doutoramento a eficácia do método canguru na maternidade, em que o recém-nascido através do contato pele-a-pele com a mãe beneficia de um alívio de sintomas de
Versão para impressão
Uma investigadora portuguesa da Escola de Enfermagem de Coimbra demonstrou na sua tese de doutoramento a eficácia do método canguru na maternidade, em que o recém-nascido através do contato pele-a-pele com a mãe beneficia de um alívio de sintomas de dor nos prematuros, especialmente durante o processo de colheita de sangue.

No estudo realizado, Ananda Maria Fernandes analisou as reações de 110 recém-nascidos sem doença grave, em duas unidades de cuidados intensivos neonatais portuguesas.

Os recém-nascidos, estratificados por idade gestacional (28 a 31 semanas e seis dias, e 32 a 36 semanas e seis dias), foram aleatoriamente alocados a dois grupos: um recebeu sacarose oral com chupeta; o outro recebeu sacarose oral com chupeta e canguru materno (contacto pele-a-pele), antes, durante e após a colheita de sangue por venopunção, explica a docente da Escola de Coimbra no resumo da tese.

Os resultados demonstraram que a combinação sacarose, chupeta e canguru materno reduziu a expressão facial de dor (olhos apertados e saliência interciliar) e o tempo de recuperação foi mais rápido quando comparada com a simples utilização de sacarose com chupeta.

Além disso, as mães entrevistadas pela docente referiram ter apreciado o contacto pele-a-pele durante o procedimento doloroso e notaram ter sentido o seu papel parental reforçado, por poderem participar no alívio da dor do seu bebé.

“Para as mães é uma experiência extremamente gratificante poderem segurar os bebés e protegê-los numa situação de dor”, sublinhou Ananda Fernandes à Agência Lusa.

Este é o primeiro estudo publicado a analisar a combinação com o “canguru materno”, que consiste em o bebé, apenas com a fralda, estar deitado de barriga sob o peito nu ou a barriga da mãe.

[Notícia alterada dia 27/01/2011 às 17h25]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close