A Persian leopard, Panthera pardus saxicolor, at the Lisbon Zoo in Portugal. This species is listed as vulnerable by the IUCN.
Cultura Em Destaque

A maior “arca fotográfica” do mundo

Animais fotografados no Jardim Zoológico de Lisboa e no CIBIO-InBIO do Porto integram exposição mundial - Photo Ark
Versão para impressão
por redação

Patente na Galeria de Biodiversidade do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto, a exposição Photo Ark, do conceituado fotógrafo Joel Sartore, parceiro e colaborador regular da revista National Geographic há mais de 20 anos, recebe seis novas fotografias de espécies em perigo que foram captadas em Portugal, no Jardim Zoológico e no CIBIO-InBIO – Centro de Investigação de Biodiversidade do Porto.

A partir de hoje, 19 de janeiro, o Leopardo-da-pérsia, o Lobo-ibérico, a Girafa-de-angola, a Impala-de-face-negra, a Lebre-ibérica e a Serpente-rei-oriental juntam-se a outras 40 espécies já presentes na exposição Photo Ark. Para além das fotografias, a mostra vai contar também com um vídeo de “behind the scenes” da sessão de Joel Sartore em Portugal, com toda a logística que o fotógrafo utilizou para captar na sua lente animais tão distintos como a enorme Girafa-de-angola e o Leopardo-da-Pérsia.

Para Vera Pinto Pereira, Executive Vice-President Portugal e Espanha da National Geographic Partners, “este é um projeto muito especial da National Geographic e foi um orgulho poder contribuir para o crescimento do Photo Ark. Ao saber que estavam em Portugal algumas espécies que o fotógrafo Joel Sartore procurava, sempre tivemos a ambição de ter essas fotografias na exposição para o público português assumir de forma mais premente a missão deste projeto como uma missão também sua.”

Na sua missão de documentar 12 mil espécies em perigo, o fotógrafo Joel Sartore encontrou em Portugal algumas espécies que procurava para integrarem o projeto Photo Ark. Para além das seis fotografias que vão integrar a exposição, ao todo são 12 os animais fotografados em Portugal que integram o projeto global. Joel Sartore também captou com a sua lente o Leão-africano, o Macaco-de-nariz-branco, o Caimão-anão, a Tartaruga-de-lama-de-adanson, a Gralha-preta e o Milhafre-preto, que se juntam às mais de 7.500 espécies já reunidas na maior “arca fotográfica” do mundo.

A exposição Photo Ark está patente na Galeria de Biodiversidade do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto, pelas mãos da National Geographic, até 29 de abril. Esta mostra engloba 47 fotografias, infografias e vídeos das mais diferentes espécies, através dos quais os visitantes podem ficar a saber mais sobre os animais representados e olhá-los nos olhos, sabendo que são espécies únicas e que, por isso mesmo, devem ser protegidas.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close