Cultura

Lisboa: Bairro Alto comemora meio milénio de existência

Este domingo, o Bairro Alto, em Lisboa, comemorou cinco séculos de existência com um bolo-rei de 85 metros estendido ao longo da Travessa da Queimada. O evento contou ainda com discursos das várias entidades ligadas ao bairro lisboeta e o fado como s
Versão para impressão
Este domingo, o Bairro Alto, em Lisboa, comemorou cinco séculos de existência com um bolo-rei de 85 metros estendido ao longo da Travessa da Queimada. O evento contou ainda com discursos das várias entidades ligadas ao bairro lisboeta e o fado como som ambiente de uma festa que já vem desde Abril.
 
 Os parabéns “ao menino Bairro Alto” começaram a ser cantados pelos marchantes do Lisboa Clube Rio de Janeiro, vestidos a rigor para aquela ocasião, mas pouco depois também as vozes da população se faziam ouvir. 
 
Depois de apagadas as velas, foi altura de partir o longo bolo-rei em fatias e distribuí-las por aqueles que ali estavam para celebrar “meio milénio de Bairro Alto”. Uma vez cessados os vivas àquela zona da capital, o fado dominou as ruas, enfeitadas com balões dourados com o número 500. 
 
As comemorações do 500º aniversário do bairro arrancaram em Abril, com iniciativas de associações de moradores, alfarrabistas e livreiros, do Lisboa Clube Rio de Janeiro, da Irmandade de São Roque e do Museu de Farmácia.
 
Com o apoio de mais 20 entidades (entre eles a Associação de Comerciantes do Bairro Alto, a Câmara de Lisboa e a Santa Casa da Misericórdia) e a criação de uma 'comissão de comemorações', as mesmas têm vindo a ser assinaladas com mercados, passeios, tertúlias, cinema, teatro e música. Além disso, houve ainda uma lotaria da Santa Casa dedicada ao aniversário e uma corrida de atletismo pelo bairro.
 
No domingo, até ao apagar das velas houve visitas guiadas, ciclos de cinema, lançamentos de livros e DVD e vários concertos de música ao vivo. Citado pela Lusa, Luís Paisana, da Associação de Moradores do Bairro Alto, avança que o objetivo era “mostrar a perspetiva de um bairro com património e cultura, rodeado de História e monumentos”. 
 
Já para Carla Madeira, presidente da Junta de Freguesia da Misericórdia, os “500 anos do Bairro Alto permitiram divulgar o bairro para o resto da cidade de Lisboa e até para o resto do país”, pelo que as comemorações pelo meio milénio “deviam continuar, para divulgar o que de bom é feito no bairro e não só os seus problemas”.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close