Mundo

Líbia anuncia cessar-fogo imediato

A Líbia anunciou, esta sexta feira, o cessar-fogo contra os oposicionistas, avança a AFP. A decisão surge após a resolução aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU, que autoriza ataques aéreos contra o regime do coronel Muammar Kadhafi. Fontes ofic
Versão para impressão
A Líbia anunciou, esta sexta feira, o cessar-fogo contra os oposicionistas, avança a AFP. A decisão surge após a resolução aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU, que autoriza ataques aéreos contra o regime do coronel Muammar Kadhafi. Fontes oficiais da Líbia confirmaram ainda, segundo o New York Times, a libertação dos quatro jornalistas norte-americanos desaparecidos desde quarta feira.

“A Líbia decidiu aplicar de imediato um cessar-fogo e dar por encerrada todas as operações militares”, anunciou o ministro líbio das Relações Exteriores, Musa Kusa, numa entrevista coletiva.

O ministro afirmou que o país, por ser membro das Nações Unidas, está “obrigado a aceitar a resolução do Conselho de Segurança da ONU”.

Esta quinta feira, o Conselho de Segurança votou a favor do uso da força contra as tropas pró-Kadhafi, abrindo assim o caminho para bombarmentos aéreos depois de quase um mês de insurreição reprimida de forma violenta pelo regime. A resolução exigia um cessar-fogo imediato e o fim dos combates.

Poucas horas depois da aprovação da resolução, um porta-voz do governo líbio afirmou que a decisão da ONU era uma “agressão”. E um dos filhos de Khadafi, Saif al-Islam, afirmou que a resolução era “injusta”, pois a Líbia não estava a bombardear civis. No entanto, esta sexta-feira, o governo líbio mudou de posição e decidiu acatar as recomendações das Nações Unidas.

Líbia liberta jornalistas do New York Times

Entretanto, além do cessar-fogo, o regime de Kadhafi  anunciou também a libertação dos quatro jornalistas norte-americanos capturados pelas autoridades do governo da Líbia, avança uma fonte do jornal norte-americano New York Times, citada pela AFP.

Os repórteres Anthony Shadid – vencedor do Prémio Pullitzer por duas vezes -, Stephen Farrell e os fotógrafos Tyler Hicks e Lynsey Addario foram dados como desaparecidos na quarta feira, no decorrer de um conflito entre rebeldes e as forças do governo líbio.

De acordo com o porta-voz do New York Times, Robert Christie, os oficiais de Khadafi terão confirmado ontem que os jornalistas estavam detidos, mas acrescentaram que a sua libertação aconteceria esta sexta feira.

A mesma informação foi reiterada pelo filho do líder líbio, Saif al-Islam Kadhafi, numa entrevista concedida ao canal televisivo ABC News.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close