Sociedade

Jovem luso cozinhou para ajudar crianças do Quénia

Durante seis semanas, Tiago Dias abriu as portas de casa e serviu centenas de refeições para juntar fundos e partir em missão para o Quénia. O português quer ajudar as crianças infetadas com vírus HIV, mostrando-lhes que "há vida depois do contágio".
Versão para impressão
Durante seis semanas, o jovem Tiago Dias abriu as portas de casa e serviu centenas de refeições para juntar fundos e partir em missão para o Quénia. O português quer ajudar as crianças infetadas com vírus HIV, mostrando-lhes que “há vida depois do contágio”.
 
Com apenas 25 anos, Tiago arregaçou as mangas e preparou mais de 200 refeições para servir à mesa na sua própria casa. Centenas de estranhos passaram por lá e contribuíram para a realização da missão que está a levar a cabo desde há duas semanas, no Quénia. 

O grande “alvo” do jovem farmacêutico é Kimera, a maior favela do mundo. Ali, em conjunto com o African Health Community Programme (AHCP), criou a Associação Passo Positivo, que visa “desmistificar o 'monstro' que é ser-se seropositivo”.

Em comunicado enviado ao Boas Notícias, Tiago Dias explica que “no Quénia, as crianças não têm noção que o comprimido diário que têm de tomar lhe pode prolongar muito a vida. Como não veem consequências na sua saúde por deixarem de o tomar, não se preocupam.”
 
“A minha missão é explicares-lhe, de uma forma simples e divertida, que, tomando aquele pequeno comprimido, a vida deles será muito mais feliz e duradoura”, esclarece o jovem, acrescentando que a sua intervenção será sempre “no campo prático, junto das comunidades locais, através do convívio com a população”.

Ajudar em África a partir de Portugal

Assim que criou a Passo Positivo, a prioridade de Tiago foi arranjar uma forma de os portugueses poderem continuar ajudar enquanto estivesse em missão.
 
“Enquanto aqui estiver, o meu objetivo é chegar ao maior número de pessoas. Já consegui 1.000 euros, que trouxe de Portugal, mas, aqui, o choque foi enorme e percebi que numa favela havia mais de 3 milhões de pessoas a precisar de ajuda”, conta o jovem.
 
Por isso, com apenas 0,20 cêntimos, é possível oferecer uma escova de dentes a uma criança no Quénia e, por apenas 3 euros, compram-se medicamentos para uma criança durante um ano.
 
“Criei um protocolo que me permite guardar aqui medicamentos e escovas de dentes durante um ano. Quando as crianças estiverem em falta, a associação entrega nas escolas que escolhi”.
 
Quem quiser ajudar o projeto deste português pode fazê-lo AQUI.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close