Ciência

Jovem inglês cria máquina caseira para analisar ADN

Com apenas 17 anos, Fred Turner já tem uma vaga garantida na Universidade de Oxford. Para perceber o porquê de o irmão ser ruivo e ele não, criou o seu próprio laboratório genético e tornou-se o Jovem Engenheiro do Ano do Reino Unido.
Versão para impressão
Com apenas 17 anos, Fred Turner já tem uma vaga garantida na Universidade de Oxford. Para perceber porque motivo o seu irmão é ruivo e ele não, Fred criou o seu próprio laboratório genético na cave e tornou-se o Jovem Engenheiro do Ano do Reino Unido.
 
As constantes insinuações, sobretudo dos colegas de escola, de que Fred e o irmão, Gus, eram filhos de pais diferentes estão na origem de tudo. Decidido a provar que as diferenças físicas estavam nos genes de cada um, mas sem orçamento para comprar o material e aparelho necessário, deitou mãos à obra e montou o seu próprio laboratório  na cave.
 
À partida, para fazer um teste genético ao irmão, precisava de uma máquina com tecnologia de reacção em cadeia da polimerase. Através desta técnica, é possível seleccionar e ampliar os genes e zonas específicas de amostras de ADN, de forma a serem analisados, sequenciados e testados. 
 


O valor comercial dos modelos mais básicos destes equipamentos rondam os 2.300 e os 3.300 euros. Mas o jovem inglês conseguiu criar o seu próprio modelo, usando peças de electrodomésticos velhos, como, por exemplo, um leitor de cassetes de vídeo.
 
A invenção permitiu-lhe analisar em detalhe o ADN do irmão e provar a toda a gente que as diferenças na cor do cabelo se deve a uma mutação genética. “Há um gene chamado MC1R que, se sofrer uma certa mutação, torna as pessoas ruivas”, explicou Fred em declarações à ITV.
 
Depois deste sucesso, o estudante decidiu concorrer à edição de 2013 da “National Science + Engineering Competition”. A competição é anual e premeia jovens entre os 11 e os 18 anos, com projetos que se destaquem na área da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Fred foi considerado o Jovem Engenheiro do Ano do Reino Unido.
 
A Universidade de Oxford já lhe garantiu uma vaga e, em Setembro, o jovem britânico vai começar a estudar Bioquímica. Fred diz que, no futuro, gostava de comercializar, sob a forma de kit de montagem, a máquina de análise e cópia genética que criou em casa e de montar o seu próprio negócio.

Notícia sugerida por Diana Rodrigues e Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close