Ciência

Investigadores criam o metal mais leve do mundo

NULL
Versão para impressão
Investigadores norte-americanos conseguiram fabricar o metal mais leve do mundo. A substância é 100 vezes mais leve que a esferovite e consegue uma alta absorção de energia, podendo ser colocado sobre um frágil dente-de-leão sem o danificar.

Por detrás da invenção está uma equipa da Universidade da Califórnia, que diz que este material pode vir a ser utilizado no fabrico da nova geração de baterias e amortecedores para automóveis.

A extrema leveza deste metal deve-se à sua composição, feita por pequenos tubos metálicos ocos, organizados numa micro rede. Esta rede é constituída por um padrão cruzado com pequenos espaços abertos entre os tubos.

“O truque é fabricar uma rede de tubos ocos interligados com uma parede de espessura mil vezes inferior à de um cabelo humano”, explicou Tobias Sandler, que lidera a investigação, à BBC.

O estudo foi publicado esta semana na revista Nature e promete vir a revolucionar a atual conceção existente sobre os metais leves. Esta substância tem uma densidade de 0,9 miligramas por centímetro cúbico, enquanto a densidade do metal até agora considerado como o mais leve (aerogel de sílica) é de 1,0 mg.

Além disso, este novo metal ganha também em resistência, já que as substâncias ultraleves são normalmente menos rígidas e fortes, e têm menos capacidade de absorção de energia. Os engenheiros que estiveram envolvidos na investigação, garantem que a força deste metal se deve à natureza do seu design.

“As construções modernas, como a Torre Eiffel ou a Ponte Golden Gate são incrivelmente leves e eficientes em virtude da sua arquitetura”, disse William Carter, gestor de materiais arquitetónicos da universidade. Com esta criação, a equipa acredita estar a “revolucionar os materiais leves, trazendo o conceito para as escalas nano e micro”, cita a BBC.

No futuro, os investigadores acreditam que este metal pode vir a ser usado para isolamento térmico, eletrodos de baterias e produtos que precisam de amortecer o som, a vibração e a energia de choque.

[Notícia sugerida por Elsa Martins]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close