Mundo

Idoso norte-americano termina licenciatura aos 94 anos

Anthony Brutto, um senhor de 94 anos de idade acaba de licenciar-se pela West Virginia University (EUA). Anthony entrou na faculdade nos anos 40 e terminou a sua licenciatura 70 anos depois.
Versão para impressão
Anthony Brutto inscreveu-se pela primeira vez na faculdade nos anos 40 mas o destino não queria que concluísse o curso, interrompido, até, pela II Guerra Mundial. Aos 94 anos o norte-americano conseguiu cumprir o seu sonho e acaba de tirar uma licenciatura na West Virginia University (EUA).

É quase tão impressionante como a estória de D. Rosa, a portuguesa que aos 90 anos está a fazer um doutoramento. Do outro lado do Atlântico, com 94 anos, Anthony é um dos licenciados mais velhos (e também o mais antigo) da Universidade de West Virginia e vai juntar-se aos restantes 4.500 estudantes que recebem os diplomas no dia 17 de Maio. 

Natural de Morgantown, Anthony é descendente de uma família de imigrantes italianos e o seu interesse pela arte surgiu cedo, começando a esculpir objetos em madeira numa carpintaria de um dos seus vizinhos.


© West Virginia University 

Um dia, Anthony conseguiu abrir com uma chave de madeira, feita por si, o frasco onde a sua mãe guardava os doces. “E funcionou!”, recorda Anthony, num comunicado emitido pela universidade. A partir desse momento, Anthony percebeu que o seu sonho era desenhar objetos e quis adquirir formação académica para aperfeiçoar as suas técnicas.

Entrou na faculdade em 1939 determinado a fazer uma licenciatura em engenharia. No entanto, o curso não correspondeu às suas expectativas e Anthony decidiu mudar para uma licenciatura na área das artes industriais.

Licenciatura interrompida pela II Guerra Mundial

“Nessa altura trabalhei numa loja de madeira e também fiz trabalhos em metal e jóias”. No entanto, no ano de 1942, já perto de licenciar-se, Anthony teve que interromper os estudos para integrar o Corpo Aéreo do Exército norte-americano durante a Segunda Guerra Mundial.

Depois da guerra, o descendente de italianos foi trabalhar com o seu pai e irmãos numa fábrica de cimento, no entanto, nunca perdeu a vontade de regressar aos estudos.

Em 1946, voltou a matricular-se na sua antiga universidade com o objetivo de terminar a sua licenciatura, mas outro imprevisto fez com que abandonasse novamente o curso. Desta vez, a sua esposa ficou gravemente doente, precisando dos seus cuidados a tempo inteiro.

Um reformado ativo e curioso

Nos anos 80, Brutto reformou-se e aproveitou a reforma para voltar à sua arte fazendo réplicas de animais em madeira: pássaros, rinocerontes, elefantes e até mesmo porcos-espinhos. Anthony voltou também a fazer jóias, vendendo-as em lojas independentes em cidades como Alexandria, Chicago e Virginia.

Recentemente, Anthony regressou à universidade e conclui com sucesso o seu curso tanto tempo adiado. “Sempre foi muito importante para mim formar-me”, assume Anthony Brutto. Ao ser questionado sobre a possibilidade de realizar um mestrado, o recém-licenciado de 94 anos diz, sorrindo : “Não, acho que vou fazer uma pausa por um tempo”. 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close