Mundo

Idoso aprende a ler aos 91 anos e publica livro aos 98

NULL
Versão para impressão
Jim Henry, ex-pescador de lagosta de Stonington (EUA), decidiu aprender a ler e escrever aos 91 anos de idade. Hoje, sete anos depois, não é só um homem literado como também acaba de publicar um livro de contos que reúne as memórias de uma vida no mar.

“É como se tivesse renascido”, afirmou Jim Henry à agência Associated Press (AP). “Deito-me todas as noites com lágrimas dos olhos, a pensar em todas as coisas boas que me aconteceram nestes últimos tempos”, acrescentou.

Jim estava no terceiro ano de escolaridade quando o pai o obrigou a desistir para ir trabalhar e ajudar a família. Aos dezoito anos, mudou-se para Stonington Borough onde se tornou capitão de um navio de pesca de lagosta.

Ao longo dos anos, foi escondendo a sua iliteracia dos amigos e familiares através de pequenos truques como pedir o que ouviu outra pessoa a pedir sempre que ia a um restaurante. A única coisa que sabia de letras era o nome. Conseguia distingui-lo entre tantas outras palavras sem sentido e ainda escrevê-lo de forma bastante legível. No entanto, tudo o que fosse além fronteiras da sua identidade era território totalmente desconhecido.

Há sete anos atrás, movido pela história de George Dawson – um neto de escravos que fez questão de conseguir o diploma de Ensino Secundário, aprendendo a ler e a escrever aos 98 anos-, Jim quis finalmente mudar a sua vida. Começou por ler livros para principiantes e por aprender o alfabeto. Por dia, dedicava inúmeras horas à escrita e num instante passou às primeiras palavras.

Hoje, as preocupações recaem sobre a aparência da sua assinatura quando começar a autografar os seus livros, pelo que tempo e esforço já foram redobrados com vista ao seu aperfeiçoamento.

A colectânea inclui um relato do tempo em que Jim foi pugilista profissional, mas debruça-se essencialmente sobre episódios que marcaram a sua história no mar.

Marisa McLaughlin, a neta mais velha de Jim, quis deixar um contributo escrevendo na capa do livro a seguinte frase: “A colectânea de histórias que se segue é o resultado de uma extraordinária viagem à literacia”.

[Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close