Saúde

Hospital de Évora pioneiro com pacemaker inteligente

O Hospital do Espírito Santo, em Évora, é um dos primeiros centros da Península Ibérica a realizar o implante de um pacemaker "inteligente" que se ajusta às necessidades de cada paciente, a cada minuto que passa.
Versão para impressão
O Hospital do Espírito Santo, em Évora, é um dos primeiros centros da Península Ibérica a realizar o implante de um pacemaker “inteligente” que se ajusta às necessidades de cada paciente, a cada minuto que passa. O dispositivo tem uma maior longevidade e permite controlar a atividade cardíaca do utilizador.

A tecnologia norte-americana do CRT-D permite o tratamento da insuficiência cardíaca através da terapia de ressincronização e ajuda a evitar eventuais paragens cardiorrespiratórias ou episódios de morte súbita, graças à sua capacidade de desfibrilhação, isto é, administração de choques.

A operação que decorreu na passada quinta-feira, dia 2, faz do hospital de Évora um dos pioneiros na aplicação desta tecnologia de ressincronização cardíaca. O dispositivo CRT-D pretende melhorar a terapia utilizada no tratamento de doentes com insuficiência cardíaca, “uma das principais causas de internamento hospitalar”.

Em comunicado ao Boas Notícias, o grupo hospitalar explica que, após “disponibilizar aos seus doentes um pacemaker com desfibrilhador, tecnologicamente avançado”, é agora possível garantir “uma melhor resposta à terapia da Insuficiência Cardíaca Congestiva Grave”.

Para além de ser coordenado conforme a atividade cardíaca de cada paciente, o pacemaker CRT-D permite controlar de perto a doença, garante uma maior resistência em relação aos modelos já existentes no mercado e uma maior comodidade para o paciente, graças ao seu design anatómico.

“Este é mais um importante passo para a Unidade de Pacing do Hospital de Évora e reforça a aposta na disponibilização de tecnologias inovadoras na área do pacing cardíaco”, explica o médico cardiologista Pedro Dionísio.

O especialista garante que “o hospital disponibiliza agora aos seus doentes uma técnica essencial no tratamento da insuficiência cardíaca”. A doença afeta todos os anos mais de 600 mil pessoas em toda a Europa e está associada a sintomas como a falta de ar, cansaço inexplicado e edemas dos membros inferiores.

 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close