Sociedade

Gulbenkian quer “contribuir muito na área social”

O novo presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Artur Santos Silva, afirmou na quinta-feira, em Lisboa, que a instituição "tem de contribuir muito na área social", em Portugal, face à difícil crise que o país atravessa.
Versão para impressão
O novo presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Artur Santos Silva, afirmou na quinta-feira, em Lisboa, que a instituição “tem de contribuir muito na área social”, em Portugal, face à difícil crise que o país atravessa.

De acordo com a Lusa, Artur Santos Silva falava aos jornalistas na sede da Fundação Gulbenkian, no final da cerimónia de início de mandato. O novo presidente sucede a Emílio Rui Vilar, que dirigiu a instituição nos últimos dez anos.

“Temos de contribuir muito na área social, porque é aí que as questões do nosso tempo estão a provocar as feridas e fraturas mais complexas”, avaliou Santos Silva, sobre os principais desafios da Gulbenkian para o futuro.

Ainda sobre os próximos cinco anos de mandato que assumiu ontem, o novo presidente da Gulbenkian, de 70 anos, defendeu que a instituição “tudo deve fazer para enfrentar desafios muito complexos” da atualidade.

“Sobretudo procurar um caminho que valorize os portugueses, valorize o mundo com a nossa contribuição”, salientou. Defendeu, nesse sentido, “mais conhecimento, mais tempo para pensar”.

Santos Silva também defendeu a criação de novos públicos – “com atenção especial para as gerações mais jovens” — para as atividades da Fundação, criada em 1956, em Portugal, pelo mecenas arménio que lhe deu o nome, Calouste Sarkis Gulbenkian.

Sobre a sua permanência na presidência do BPI, Artur Santos Silva disse que – “devido ao período difícil para o sistema financeiro e para o país” – essa tinha sido uma condição essencial na aceitação do convite para dirigir a Gulbenkian.

Rui Vilar como administrador não executivo

Relativamente ao presidente cessante, Santos Silva comentou que Rui Vilar “tem um conhecimento profundíssimo da instituição e dos problemas do nosso tempo e, com o capital que ele tem, vai ajudar muito no trabalho a fazer” na Gulbenkian.
 
Na primeira reunião do Conselho de Administração presidida por Artur Santos Silva, realizada antes da cerimónia, Rui Vilar foi, por unanimidade, cooptado como administrador não executivo da Fundação.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close