Fitness & Bem-estar

Guia da Nutrição: 8 dicas que ajudam a aliviar a azia

Não deve ignorar, minimizar ou conformar-se com o facto de sofrer de azia. Ouça o seu organismo e procure soluções que lhe tragam bem-estar e saúde. Abaixo seguem oito sugestões que deverá ter em conta e que certamente ajudarão a aliviar a azia.
Versão para impressão
[por Sara Pinhão, Nutricionista Funcional]

Image and video hosting by TinyPic

Refluxo gástrico é o nome que se dá quando o ácido do estômago sobe pelo esófago. A azia é uma sensação de ardor no peito, mas que na verdade está relacionada com o ácido do estômago que subiu para a base do esófago e está a “queimar” a parede interna do esófago.
 
As causas da azia e refluxo gástrico podem ser várias, desde a sensibilidade do estômago a certos alimentos, como resultado de medicação ou devido a stress e ansiedade. Certo é que, cada vez mais pessoas sofrem de azia, e em muitos casos isto acontece quase diariamente, interferindo com o bem-estar e a rotina normal de vida.

Não deve ignorar, minimizar ou conformar-se com o facto de sofrer de azia. Ouça o seu organismo e procure soluções que lhe tragam bem-estar e saúde. Abaixo seguem oito sugestões que deverá ter em conta e que certamente ajudarão a aliviar a azia.
 
1) Faça um diário alimentar

Image and video hosting by TinyPic

Não tem a certeza de que tipo de alimentos podem estar a desencadear a sua azia? Para algumas pessoas poderá ser o leite, para outras o folhado misto a meio da manhã ou a cervejita. Aprenda a reconhecer os alimentos suspeitos, mantendo um diário em que regista tudo o que come ou bebe. No seu diário alimentar crie 3 colunas: hora, alimentos que ingeriu e sintomas.

Procure padrões que ligam certos alimentos à indigestão e azia. Irá certamente conseguir detetar alguns alimentos que agravam o seu problema. Poderá depois evitar esses alimentos por alguns dias e mais tarde, adicioná-los novamente, um por um, testando para ver se realmente lhe causam problemas. 


Registe mesmo tudo o que comer ou beber, desde um simples copo de água, uma bolacha, uma pastilha e até um cigarro.
 
2) Faça refeições pequenas e frequentes
Em vez de três grandes refeições por dia e várias horas de jejum, coma pequenas quantidades de alimentos de 3 em 3 horas. Esta simples alteração vai dar-lhe menos fome abrupta às refeições, logo não deverá comer em demasia às principais refeições. Quando come demasiada quantidade sobrecarrega o estômago obrigando-o a produzir ainda mais ácido para digerir os alimentos. Por outras palavras, não coma demais. 
 
3) Mastigue d-e-v-a-g-a-r
A digestão começa na boca com a mastigação dos alimentos pelos dentes, com a ajuda da saliva, mas por vezes, há que ache que o estômago tem dentes e quase engole o alimento sem o mastigar. Lembre-se de comer calmamente e mastigar bem os alimentos, em especial a carne pois a digestão desta faz-se essencialmente no estômago e ao mastigar bem estará a ajudar o seu estômago.
  
4) Evite alimentos com muita gordura
Os alimentos ricos em gordura tendem a ficar mais tempo no estômago, levando o estômago a produzir mais ácido para os digerir. Assim, evite alimentos fritos, folhados, os molhos dos assados e enchidos. De qualquer forma são alimentos pouco saudáveis e a sua silhueta até vai agradecer.
 
5) Atenção às bebidas
 

Image and video hosting by TinyPic

Algumas bebidas parecem desencadear azia com mais frequência, incluindo café e alguns chás, refrigerantes com cafeína, refrigerantes com gás e álcool. A pior bebida é a cerveja, que pode duplicar o ácido do estômago dentro de uma hora.
 
Não acompanhe a refeição com bebidas, evite inclusive a água pois vai diluir o ácido do estômago e obrigará à produção de mais ácido. Por outro lado também ocupa espaço e um estômago demasiado cheio tende a transbordar (para cima) se a “tampinha” superior do seu estômago já estiver danificada pela azia ou refluxo gástrico. Fora das refeições a água deverá ser a bebida de eleição. Espere 1 hora após a refeição para beber água.
 
6) Pare de comer pelo menos duas horas antes de deitar
 
Image and video hosting by TinyPic Se por vezes se deita tarde e por ter fome e petisca antes de ir para a cama ou tem mesmo o hábito de fazer uma ceia, tenha atenção às horas. Pare de comer pelo menos 2 horas antes de se deitar. Ao comer vai obrigar o estômago a digerir, que é o mesmo que dizer, produzir ácido. Se se for logo deitar torna-se mas fácil para o ácido a subir do estômago para o esófago e causar azia. 
 
7) O leite é enganoso
Há quem sinta alívio bebendo leite após uma refeição pesada, mas este apenas vai camuflar o problema, pois após esse aparente alívio acaba por sofrer as consequências especialmente ao deitar. Assim, evite beber leite após o jantar. 
 
8) Mantenha um peso saudável
Um estudo verificou que pessoas com excesso de peso, isto é com índice de massa corporal (IMC) entre 25 e 30kg/m2 têm duas vezes mais propensão para desenvolver azia e refluxo gástrico. E pessoas que eram obesas (IMC acima de 30kg/m2), têm o triplo do risco de desenvolvimento de refluxo gástrico! [Para calcular o seu IMC: IMC=peso(kg)/altura(m)2, um IMC normal varia entre 18,5 e 24,9kg/m2]
 
Estas indicações simples são fundamentais para ajudar a aliviar a azia, mas existem muitos mais fatores alimentares e de estilo de vida a ter em conta. Se sofre de azia ou refluxo gástrico procure o seu médico ou nutricionista para um acompanhamento mais personalizado.

____________________________________________________________
Image and video hosting by TinyPic A nutricionista Sara Pinhão é fundadora da Nutrexpert, um projeto que associa os mais avançados conhecimentos científicos sobre o funcionamento do organismo, o poder da alimentação e estilo de vida para promover a saúde e o bem-estar físico e emocional. 

Contactos:
sara.pinhao@nutrexpert.pt
www.facebook.com/nutrexpert
913 261 772

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close