Cultura

Fotógrafo luso selecionado para expor em Nova Iorque

O fotógrafo português João Pina foi selecionado para expor, nos EUA, um trabalho sobre a repressão das ditaduras na América Latina. Entre um total de mais de 360 candidatos, a organização da Open Society selecionou cinco fotógrafos para expor na 'Mov
Versão para impressão
O fotógrafo português João Pina foi selecionado para expor, nos EUA, um trabalho sobre a repressão das ditaduras na América Latina. Entre um total de mais de 360 candidatos, a organização da Open Society selecionou cinco fotógrafos para expor na 'Moving Walls', em Nova Iorque, entre os quais o profissional luso, com o trabalho 'A Sombra de Condor'.
 
O projeto retrata as vítimas e os carrascos da aliança político-militar com o mesmo nome, estabelecida entre os regimes militares dos anos 1970 e 80, na América Latina (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai).

Image and video hosting by TinyPic

A exposição, inaugurada na próxima terça-feira, vai também passar pelo Paço das Artes, em São Paulo (Brasil) em Setembro, Buenos Aires (Argentina) e Assunção (Uruguai). Além disso, o fotógrafo já está em conversações para mostrar o seu último trabalho em Portugal.
 
A ideia é expor em museus de arte contemporânea, onde as pessoas “vão ver uma exposição de pintura do século XX” e acabam, antes, por ser assaltadas por outros temas. “Tenho tentado sempre mostrar isto em lugares que não tenham nada a ver com direitos humanos, fazendo com que chegue a outro tipo de público”, explica à Lusa.
 
“A repressão política é uma coisa muito pouco falada. Fala-se muito da guerra da Bósnia, da violência étnica, da violência religiosa, mas a violência política está muito fora da agenda”, afirma. Desta forma, 'A Sombra de Condor' surge como a “continuação” do que João Pina tem vindo a fazer sobre a preservação da memória, que até já foi traduzido livro, pelo título “Por Teu Livre Pensamento”, relativamente aos presos políticos portugueses. 

Image and video hosting by TinyPic

O fotógrafo conta que o seu mais recente 
projeto, que será também publicado em livro, no fim do Verão, com edições em português, espanhol e inglês, exigiu “muita procura”, uma vez que “existem poucas imagens” da repressão política.
 
Como tal, João Pina passou meses em arquivos, a resgatar imagens com um “valor plástico, histórico, documental e estético brutal”. Já o tinha feito uma vez, para o trabalho sobre os presos políticos portugueses, mas, agora, viu-se obrigado a “mergulhar muito mais nos arquivos, visto que se trata de uma realidade muito mais complexa: seis países, muitas histórias, muitos lugares diferentes”. 
 
Para financiar o projeto 'A Sombra de Condor', o artista luso recorreu ao processo de 'crowdfunding' (financiamento coletivo) e recebeu mais de 20.000 euros de pessoas de 20 países diferentes. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close