Negócios e Empreendorismo

Forbes destaca empresa portuguesa de software

NULL
Versão para impressão

A revista Forbes dedica, esta sexta-feira, um artigo especial à empresa portuguesa Critical Software. No texto, o jornalista Peter Cohan elogia a excelência e capacidade de expansão da empresa de software, apontando-a como um exemplo de crescimento económico que o governo português deve promover para sair da crise.

Peter Cohan começa por avisar que quem  “tem andado a seguir as notícias sobre ”a crise financeira portuguesa “poderá pensar que Portugal não tem o que precisa para crescer”. Mas “isso pode estar errado”, continua o jornalista, apontando o exemplo da “Critical Software (CS), uma empresa de software para empresas com sede em Coimbra, Portugal, que planeia crescer e aumentar a contratação em 40% no próximo ano”.

No artigo, a Forbes esclarece que a CS trabalha com empresas e com o próprio governo, ajudando os seus clientes a ultrapassar um dos obstáculos mais difíceis: o momento em que a sua tecnologia não se consegue adaptar, na velocidade necessária, às mudanças no seu negócio.

Um dos trabalhos que a Forbes destaca é o desenvolvimento do sistema nacional de emergência (112) cujas vantagens técnicas e operacionais já mereceram prémios como os European IT Excellence Awards, em 2011. Cohan destaca também a parceria da CS com a SAUTER que permitiu o desenvolvimento de um software capaz de reduzir o consumo de energia e as emissões poluentes dos edifícios.

Num outro parágrafo, o jornalista traça a história da CS, fundada em 1998 por três investigadores da Universidade de Coimbra, e resume as duas principais áreas de atuação da empresa através da ASD – aeronautica, defesa e transportes – e da Enterprise Critical Solutions (ECS) – finanças, energia e saúde.

Peter Cohan sublinha ainda os “ambiciosos objetivos” da empresa que, em 2014, pretende gerar receitas de vendas superiores a 175 milhões de euros e um lucro ilíquido de 35 milhões.

Segundo disse Gonçalo Quadros, um dos resposáveis da CS, à Forbes, a empresa quer ainda aumentar o número de funcionários de 250 para 350 e estabelecer novas sucursais internacionais, para além das que já abriu nos EUA, Reino Unido, Brasil e Angola e Moçambique.

A Forbes considera que um dos segredos do crescimento da CS é a aposta em investigação e desenvolvimento. Por isso, apesar da sede ser em Coimbra, a empresa abriu vários centros juntos das principais faculdades do país: Lisboa, Coimbra e Porto.

A Forbes salienta também a excelência dos serviços da empresa que já conquistou o mais alto nível de maturidade em termos de desenvolvimento de software: o nível 5 do Capability Maturity Model. A CS é a única empresa em Portugal com este nível e uma das poucas (cerca de 12) em toda a Europa.

Na conclusão, Peter Cohan avisa que um “dos desafios mais criticos de Portugal será criar mais companhias com a capacidade de expansão da CS”.

[Notícia sugerida por Bruno Melo]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close