Ciência

Física: Lusos ajudaram na investigação do Nobel

NULL
Versão para impressão

Patrícia Castro e Nelson Nunes são os dois portugueses que ajudaram a equipa de um dos três nomeados do Nobel da Física 2011 a perceber que o universo está em expansão acelerada.

Um dos artigos que valeu a Saul Perlmutter, da Universidade da Califórnia, Berkeley (EUA), o Nobel da Física deste ano – “Measurements of Omega and Lambda from 42 High-Redshift Supernovae” – foi escrito em coautoria com os dois jovens cientistas portugueses. O artigo foi publicado no The Astrophysical Journal em 1999.

Em 1998, Patrícia Castro e Nelson Nunes (na altura estudantes do instituto superior técnico) integraram o Supernova Cosmology Project, da Universidade de Berkeley.

Os dois jovens cientistas participaram no projeto a partir do CENTRA-IST (Centro de Astrofísica do Instituto Superior Técnico). Nessa altura Patrícia Castro era estudante finalista e Nelson era recém-licenciado, ambos da licenciatura de Engenharia Física do IST.

“Participei no artigo, assisti à sua elaboração e ajudei na análise dos dados das supernovas. Ainda lá estava quando o trabalho foi considerado pela Revista Science como a experiência do ano”, recorda a investigadora, agora com 36 anos, à agência Lusa.

Nelson Nunes e Patrícia  Castro partilharam também o Prémio Gruber Cosmologia 2007 que foi atribuído a Saul Perlmutter da Universidade da Califórnia e a Brian Schmidt, da Universidade Nacional Australiana, e às suas respetivas equipas.

Depois de Berkeley, Patrícia Castro continuou como investigadora do CENTRA mas atualmente abandonou a investigação e optou por um emprego “estável” de consultora na empresa Cap Gemini.

Segundo o jornal Público, e depois de ter trabalhado até ao mês passado como investigador no grupo de Cosmologia do Instituto de Física Teórica da Universidade de Heildelberg (Alemanha), Nelson Nunes está de volta a Portugal. Na próxima segunda-feira, o cientista assume funções como investigador no grupo de Cosmologia do Centro de Astronomia e Astrofísica da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

O Prémio Nobel da Física foi atribuído aos investigadores norte-americanos Saul Perlmutter, Brian P. Schmidt e Adam G. Riess pelos seus trabalhos que mostraram, através da observação das supernovas, que afinal há uma aceleração da expansão do Universo.
 
[Notícia sugerida por Ana Isa Fernandes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close