Gastronomia

Europa "protege" Pastel de Chaves contra imitações

O famoso Pastel de Chaves, folhado recheado com carne de vitela em forma de meia-lua que é um dos maiores símbolos daquela cidade portuguesa, está, desde esta terça-feira, protegido pela União Europeia contra "falsificações".
Versão para impressão
O famoso Pastel de Chaves, folhado recheado com carne de vitela em forma de meia-lua que é um dos maiores símbolos daquela cidade portuguesa, está, desde esta terça-feira, protegido pela União Europeia contra “falsificações”.
 
A iguaria flaviense conquistou, esta semana, depois de um longo processo burocrático, a denominação de “Indicação Geográfica Protegida” (IGP), certificação oficial estipulada pela Europa e que impede que os pastéis sejam produzidos fora do local de origem ou por produtores não certificados.
 
De acordo com a Câmara Municipal de Chaves, a história do célebre folhado remonta ao ano de 1862, “quando uma vendedora, cuja origem de desconhece, percorria a cidade com uma cesta contendo uns pastéis de forma estranha e cuja quantidade não era suficiente para saciar” a população.
 
Face à escassez e à necessidade de satisfazer “a gula transmontana”, a fundadora da Casa do Antigo Pasteleiro, “terá oferecido uma libra pela receita de tão gostosa iguaria”, conta a autarquia no seu site oficial.

Os folhados perduraram, assim, “na memória e no paladar” dos habitantes locais e “acabaram por conquistar um lugar de destaque” na gastronomia portuguesa, tendo mesmo já sido considerados “os melhores pastéis folhados” do país.
 

Para a Câmara de Chaves o folhado, que, assim, integra uma lista de mais de 1.200 produtos protegidos, é “um símbolo da pastelaria do concelho”, ascendendo a sua produção diária a mais de 25.000 unidades confecionadas por cerca de três dezenas de empresas locais.
 
“A maioria das pastelarias da cidade produz e vende [o Pastel de Chaves] nas suas próprias instalações, estando o produto em franca expansão”, congratula-se o organismo flaviense, acrescentando que o folhado “já é comercializado em vários pontos do país”, sendo congelado para fins de transporte. 
 
A classificação IGP (Indicação Geográfica Protegida) é regulamentada pela União Europeia e atribuída a produtos gastronómicos ou agrícolas produzidos, tradicionalmente, numa região específica.
 
A atribuição desta certificação garante que os produtos em questão foram produzidos na região de origem e que as suas caraterísticas, qualidade e modo de confeção respeitam as tradições que os tornaram célebres.

Notícia sugerida por Ana Ferreira

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close